Untitled Document
TERÇA-FEIRA, 19 DE SETEMBRO DE 2017
20 de JUNHO de 2016 | Fonte: Correio do Estado

Tensão pode ser acirrada em Caarapó com possível revogação de decreto

Indígenas querem que em dois meses reconhecimento da área seja finalizado (Foto: Valdenir Rezende / Correio do Estado)

Enquanto de um lado os índios da Terra Indígena Dourados Amambaipeguá I querem garantias de que o decreto que demarcou mais de  55 mil hectares como tradicionalmente indígenas em Caarapó seja finalizado,  do outro, produtores e integrantes da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA) lutam para que os estudos demarcatórios sejam revogados. Tal situação pode acirrar ainda mais conflito na cidade, que vive clima de tensão desde a última terça-feira, quando o agente de saúde Clodiode Aquileu Rodrigues, 22, que era guarani-kaiowá, morreu assassinado.

 

Para defender o território reconhecido, os índios exigem documento assinado pelo Ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, que garanta a continuidade do andamento do processo de reconhecimento, até mesmo para conter as retomadas, que é como os indígenas chamam as ocupações de terras.



Untitled Document
Últimas Notícias
Encontrada ossada de jovem sumido há quase 1 ano em Naviraí
Audiência subsidia projeto de lei que determina avaliação em academias
Naviraí terá casamento comunitário em outubro
Untitled Document