Untitled Document
QUINTA-FEIRA, 19 DE MAIO DE 2022
13 de DEZEMBRO de 2021 | Fonte: AMPASUL

Clima e manejo adequado colaboraram para a diminuição da incidência do bicudo do algodoeiro

O índice B.A.S. pré-plantio pode determinar o manejo mais adequado a ser realizado no surgimento dos primeiros botões florais do algodoeiro.
Foto: Divulgação

A Ampasul concluiu até o final do mês de novembro, o armalhilhamento na modalidade pré-plantio do algodão em Mato Grosso do Sul. O índice de capturas conseguido através do B.A.S. (Bicudo Armadilha Semana) pré-plantio é de grande importância para determinar o manejo mais adequado a ser realizado no surgimento dos primeiros botões florais do algodoeiro.

 

O índice B.A.S. pré-plantio deste ano, em Costa Rica, maior produtor de algodão de MS foi de 0,27 e de Chapadão do Sul, 0,02. São números relativamente baixos, se compararmos a 4,6 detectado na safra 2013/14 por exemplo.

 

Segundo mais um Informativo do Programa Boas Práticas Fitossanitárias do Algodão, publicado pela Ampasul, alguns dos fatores que podem ter contribuído para a manutenção desse número são:

 

• Geada (alto índice de mortalidade dos insetos que permaneceram nas áreas durante/após a geada, devido a falta de estruturas para alimentação);

 

• Aplicações de inseticida na desfolha e destruição de soqueiras (devido a falta de estruturas de alimentação em decorrência da geada, consequentemente os insetos ficaram mais susceptíveis aos inseticidas aplicados na desfolha e na destruição de soqueiras);

 

• Condições climáticas favoráveis na operação de destruição de soqueiras.

 

As chuvas em novembro foram abundantes, favorecendo o início do plantio do algodão primeira época. Na região de Costa Rica e Chapadão do Sul a previsão era de se iniciar a semeadura nos primeiros dias de dezembro. Já no centro sul de MS o plantio ocorreu dentro do mês de novembro.

 

Neste ano voltaram as parcerias para revitalização da cultura no sul de MS. Mais uma vez serão implanta unidades demonstrativas. Ampasul firmou parceria com um produtor rural e seis instituições de pesquisas da região centro sul, para implantação de unidades demonstrativas de cultivares. A finalidade é levar informações de manejo, produtividade e qualidade de fibras das variedades.

 

Através da equipe técnica da Ampasul, foi realizada a entrega das variedades a serem implantadas, separadas por linhas de plantio para cada instituição.

 

As instituições parceiras desta safra são:

• Ferst – Dourados

• MS Integração – Maracajú

• Desafios Agro – Bandeirantes

• Solo Agro – Campo Grande

• CropSolutions – São Gabriel do Oeste

• Faz. Bom Futuro – Aral Moreira

• Desafios Agro – Chapadão do Sul

• Fundação Chapadão – Chapadão do Sul.



Untitled Document
Últimas Notícias
Cooperativa Recicla Naviraí recolhe mais de 660 toneladas de materiais que iriam para o aterro sanitário
Presidente sanciona MP que torna Auxílio Brasil de R$ 400 permanente
Naviraí adere ao programa Cidade Empreendedora oferecido pelo Sebrae/MS
Untitled Document