Untitled Document
QUARTA-FEIRA, 03 DE JUNHO DE 2020
04 de MAIO de 2020 | Fonte: Assessoria

Recicleiros e empresas ajudam os membros da Recicla Naviraí

Serviço de coleta de materias recicláveis é suspenso temporariamente em decorrência do novo coronavírus.
Foto: Divulgação

Os cooperados da Recicla Naviraí, que une os catadores de materiais recicláveis agora trabalhando na coleta seletiva implantada em nossa cidade, com apoio da Ong Recicleiros e de empresas parceiras do Programa, estão recebendo total apoio enquanto estão suspensas as coletas, devido ao Coronavírus e, sem ter como trabalhar, estão recebendo cestas básicas de alimentos, higiene e recursos em dinheiro para poderem se manter em casa durante essa fase da pandemia, já que sem a coleta seletiva, a cooperativa nada produz no que se refere a recursos.

 

Segundo Erich Burger, diretor institucional da Recicleiros, que foi quem implantou em Naviraí o projeto que hoje é referencial para outras localidades, “a cooperativa Recicla Naviraí, bem como o programa de coleta seletiva municipal em si, são referência para todo o Brasil e a suspensão temporária da coleta, que por um lado nos deixa, chateados, assim como estão os catadores e também a população naviraiense, é mais uma vez uma demonstração para todo o Brasil de uma atitude precavida e responsável, induzida por essa condição vai além do nosso poder de escolha. A gente precisa olhar com atenção e ver o que é prioridade nesse momento com a chegada no Brasil do Coronavírus. Como técnicos tivemos que propor a paralisação temporária por segurança e preservação da saúde pública”, disse ele.

 

Ao justificar o porquê da paralisação, Erich salientou que “depois da coleta dos recicláveis nas residências e estabelecimentos comerciais, os pacotes são abertos dentro do galpão da cooperativa Recicla Naviraí onde é realizado um processo de separação manual com a participação de muitos trabalhadores e que originalmente não foi planejado para trabalhar em uma situação de pandemia como essa, podendo atingir não só os cooperados mas fazer com que uma eventual contaminação se espalhe muito rápido entre a população. A gente não sabe como sai o lixo das casas das pessoas, então todos nós corremos risco de uma possível contaminação, porque os coletores e os trabalhadores dentro da cooperativa, ficam expostos”, afirmou.

 

CAMPANHA

Erich Burger explicou também que como a cooperativa começou as suas atividades a pouco tempo, ainda não conseguiu fazer um caixa ou capital de giro para determinadas situações imprevistas como essa. “Assim sendo, lançamos uma campanha pedindo ajuda aos nossos parceiros e investidores do programa para que eles pudessem suportar uma parada estratégica e necessária por até quatro meses. O difícil é que além de não recolher o material reciclável, a cooperativa fica parada e sem gerar renda para seus associados. Simplesmente determinar a parada e abandoná-los num momento como esse certamente faria com que fossem para as ruas atrás de trabalho, não contribuindo em nada para a contenção da epidemia. Como esse apoio das empresas locais e de fora da cidade, podemos executar o conceito de pagamento por serviços sanitários, que é basicamente remunerar os catadores para que prestem o serviço mais importante no momento para a saúde pública, que é ficar em casa. Os catadores estão portanto em casa, recebendo cestas básicas de alimentos, higiene e limpeza, além de um recurso básico para as contas do mês, garantiu o consultor técnico da cooperativa Recicla Naviraí.



Untitled Document
Últimas Notícias
Nova frente fria chega ao MS e muda o tempo já a partir de segunda
Mato Grosso do Sul tem 20 óbitos por coronavírus e 1.489 confirmados
Câmara de Dourados suspende atividades após segundo caso de Covid-19
Untitled Document