Untitled Document
SÁBADO, 19 DE OUTUBRO DE 2019
08 de OUTUBRO de 2019 | Fonte: Globo Esporte

Após lesão, Jade Barbosa vai passar por cirurgia e corre risco de ficar fora da Olimpíada

Ressonância aponta ruptura do ligamento cruzado anterior do joelho direito. Recuperação de no mínimo seis meses coloca ginasta longe de vaga para os Jogos de Tóquio 2020.
Foto: REUTERS/Wolfgang Rattay

A lesão no joelho direito no Mundial de Ginástica de Stuttgart deixou Jade Barbosa mais distante da Olimpíada de Tóquio. Depois de não conseguir ajudar o Brasil a classificar uma equipe para os Jogos no sábado, a ginasta passou por exame de ressonância magnética, que apontou uma ruptura no ligamento cruzado anterior. Nesta terça-feira, a Confederação Brasileira de Ginástica (CBG) informou que Jade vai passar por uma cirurgia de reconstrução do ligamento quando retornar ao Brasil.

 

- Após a avaliação da equipe médica, a atleta realizou ressonância magnética que evidenciou ruptura do ligamento cruzado anterior do joelho direito. Jade encontra-se em tratamento com a equipe multidisciplinar COB/CBG em Stuttgart e será submetida a tratamento cirúrgico no Rio de Janeiro, após a sua volta - afirmou em nota Rodrigo Sasson, médico do Comitê Olímpico do Brasil e da CBG.

 

Jade e a delegação brasileira voltam ao Brasil na semana que vem, mas a cirurgia ainda não tem data marcada. O tempo de recuperação é de seis a oito meses. Assim, Jade vai ter pouco tempo de preparação para sua última chance de classificação olímpica, no Campeonato Pan-Americano da modalidade, em maio, nos Estados Unidos. A ginasta passou por uma cirurgia em 2014, só que no joelho esquerdo.

 

Sem classificar a equipe feminina, o Brasil só garantiu Flávia Saraiva na Olimpíada. No ano que vem, o país vai poder classificar até mais duas ginastas, uma pelo circuito da Copa do Mundo por aparelho, outra pelo Pan da modalidade. Rebeca Andrade, que também está se recuperando de uma cirurgia de reconstrução do ligamento cruzado anterior, mira essas vagas.

 

O Brasil conseguiu classificar a equipe masculina para a Olimpíada e vai contar com quatro ginastas em Tóquio no masculino. No Mundial de Stuttgart, o Brasil ainda briga por medalhas com Arthur Zanetti (argolas), Arthur Nory (barra fixa), Caio Souza (individual geral) e Flávia Saraiva (individual geral, trave e solo).



Untitled Document
Últimas Notícias
Conmebol confirma final da Libertadores no Maracanã em 2020
Pagamento de bolsas do CNPq está garantido este ano, diz governo
Igreja Adventista do 7º Dia de Naviraí promove palestra no Outubro Rosa
Untitled Document