Untitled Document
SEXTA-FEIRA, 06 DE DEZEMBRO DE 2019
10 de SETEMBRO de 2019 | Fonte: Correio do Estado

PSDB prepara expulsão da deputada Rose Modesto

Deputada federal quer ser candidata a prefeita de Campo Grande, mas não consegue espaço.
Rose Modesto foi a deputada federal mais bem votada de Mato Grosso do Sul em 2018 (Foto: Michel Jesus / Câmara dos Deputados)

O PSDB deverá expulsar do partido a deputada Rose Modesto, que vem demonstrando publicamente insatisfação por não encontrar respaldo em suas pretensões de, mais uma vez, disputar a Prefeitura de Campo Grande. Com isso, a parlamentar “carimba o passaporte” para enfrentar nas urnas novamente, já em outro partido, o atual prefeito Marcos Trad (PSD) que a derrotou em 2016. A cúpula deverá reunir-se para sacramentar essa medida evitando desgastes maiores – como passar para a população a imagem de que é um partido desunido – e cortando o mal pela raiz, ou seja, dando um basta aos atos de rebeldia interna.

 

A expulsão é uma medida que não ameaça Rose de perder o mandato, pois se enquadra em uma das normas estabelecidas pela legislação eleitoral a respeito. 

 

Sabe-se, porém, que o alto tucanato não estaria disposto a ver a legenda ‘’sangrar em público’,’ motivada por descontentamentos de alguns de seus integrantes.

 

Recentemente, a bancada do PSDB na Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul rebelou-se, criando desgaste para o partido perante a opinião pública. Formada por cinco parlamentares, três deles votaram contra projeto do governador Reinaldo Azambuja. As exceções foram Felipe Orro e Paulo Corrêa, este último por ser presidente da Casa. No episódio, o pior foi que o próprio líder do grupo partidário, Rinaldo Modesto, ‘’puxou a fila”, seguido por Onevan de Matos e Marçal Filho.

 

Rinaldo é irmão de Rose e é um dos maiores críticos, na Assembleia Legislativa, da administração de Marcos Trad. Há de se ressaltar que a campanha de 2016, quando a hoje deputada federal e na época vice-governadora disputou a Prefeitura de Campo Grande, foi num campo de muitos ataques, inclusive de ordem pessoal. 

 

Passada a refrega, ocorreu aproximação entre Azambuja e Marcos Trad. Em 2018, o tucano recebeu apoio do prefeito para sua reeleição em troca de fazer o mesmo no pleito municipal. Isso contribuiu para que as pretensões de Rose ficassem quase impossível.

 

Sem unanimidade

Apesar da promessa de apoio mútuo dos dois administradores, a condução dos entendimentos está sob a responsabilidade dos diretórios municipais das siglas. No meio tucano, por enquanto, a oficialização dessa aliança não é unanimidade, uma vez que correntes internas defendem o lançamento de candidatura própria. Rose Modesto, por exemplo, é uma das defensoras de que o PSDB dispute a Prefeitura de Campo Grande e, obviamente, sendo ela a candidata.

 

Ex-vereadora, ex-vice-governadora (no primeiro mandato de Reinaldo Azambuja) e deputada federal mais votada de Mato Grosso do Sul, Rose está sendo cortejada pelo Partido Progressista (PP) e Podemos, onde pessoas de seu relacionamento político estariam sendo filiadas. Experientes nas estratégias políticas, a parlamentar não faz a mínima questão de esconder esses acenos. Tanto é, que se deixou fotografar, em Brasília, em conversas com os deputados estaduais Evander Vendramini e Gerson Claro, conforme mostrou o Correio do Estado na edição de quarta-feira (04/09).  Caso os entendimentos evoluam, os progressistas têm maiores chances de conquistar Rose, devido a estrutura do partido.



Untitled Document
Últimas Notícias
Ministro da Educação empossa Elaine Cassiano reitora do IFMS
Governo envia plano de aplicação dos recursos do Fundersul 2020
Frota de veículos no MS cresce 8% nos últimos 3 anos
Untitled Document