Untitled Document
DOMINGO, 16 DE JUNHO DE 2019
07 de JUNHO de 2019 | Fonte: Semagro

Celulose lidera exportações e MS tem superávit acumulado de US$ 1,226 bi em maio

Os dados foram divulgados pelo Ministério da Economia e publicados na Carta de Conjuntura do Setor Externo, publicada pela Semagro.
Foto: Divulgação

A balança comercial de Mato Grosso do Sul acumula um superávit de US$ 1,226 bilhão, de janeiro a maio de 2019, puxada em grande parte pelo crescimento das operações de exportação de celulose realizadas pelas indústrias do setor, em Três Lagoas. Os dados foram divulgados nesta sexta-feira (07/06), pelo Ministério da Economia e publicados na Carta de Conjuntura do Setor Externo, publicada pela Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar).

 

A celulose, que de janeiro a maio do ano passado era o segundo principal produto exportado por Mato Grosso do Sul, já aparece como primeiro produto na pauta de exportações de janeiro a maio de 2019, representando 40,38% do total das vendas para o exterior em termos do valor, e com aumento de 20,95% em relação ao mesmo período no ano passado. Em relação ao volume, houve aumento de 13,15%. A soja ficou em segundo lugar, contribuindo com 28,19% da pauta. Já a carne de bovinos cresce, chegando a 13,58% de participação na pauta com crescimento de 21,81% em relação a 2018.

 

“Há uma sazonalidade na questão da soja, devido aos períodos de safra e oscilações do câmbio, mas o desempenho crescente da celulose demonstra a consolidação desse setor no Estado. Além disso, tivemos um crescimento de 50,9% nas exportações do milho em grão. Esse é um item da pauta que iremos observar com atenção”, comentou o secretário Jaime Verruck, da Semagro.

 

Nesta semana foi feito o anúncio de safra recorde do milho em Mato Grosso do Sul, com estimativa de colheita de 9,5 milhões de toneladas. “Esse desempenho é um sinalizador de que vamos precisar exportar. Hoje, 67% da nossa produção é absorvida pelo mercado interno, basicamente na nossa indústria de proteína animal, seja de suínos e aves. O acompanhamento dessa safra já sinaliza que haverá necessidade de exportação. O preço médio no mercado internacional anima os produtores, tanto que o governador Reinaldo Azambuja já recebeu o setor e estuda a possibilidade de o governo flexibilizar a paridade da exportação de milho, devido às condições favoráveis no mercado externo”, acrescenta Jaime Verruck.

 

Em termos de destinos, a China segue como o principal parceiro no mercado internacional com 45,45% seguido da Argentina com 6,11%, embora o destaque seja o crescimento do terceiro destino Estados Unidos com crescimento de 160,59% em relação a 2018. Dentre os municípios o destaque permanece para Três Lagoas com 52,73% impulsionada pela alta na exportação de celulose.



Untitled Document
Últimas Notícias
No dia mundial do doador de sangue, Junho Vermelho busca ampliar estoque
IFMS abre mais de mil vagas em cursos de qualificação profissional e de idiomas
Inscrições no ProUni se encerram nesta sexta-feira
Untitled Document