Untitled Document
QUARTA-FEIRA, 20 DE MARÇO DE 2019
25 de FEVEREIRO de 2019 | Fonte: Agência ALMS

Áustria pode implementar ações de combate à violência contra mulher criadas em MS

Diplomata Austríaca está em Mato Grosso do Sul para conhecer as ações que são realizadas para minimizar a violência contra a mulher e acolher as vítimas.
Visita Embaixadora da Áustria a Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul ocorreu na manhã desta segunda-feira (Foto: Luciana Nassar/ALMS)

A embaixadora da Áustria no Brasil Irene Giner-Reichl foi recebida pelo presidente da Assembleia Legislativa, deputado Paulo Corrêa (PSDB), na manhã desta segunda-feira (25/02). Acompanhada pela responsável do Centro de Intervenção de Proteção à Mulher de Viena, Kerstin Shinerl, e da subsecretária municipal de Políticas Públicas para as Mulheres, Carla Stephanini, a diplomata está em Mato Grosso do Sul para conhecer as ações que são realizadas para minimizar a violência contra a mulher e acolher as vítimas.

 

“Vamos à Casa da Mulher Brasileira, em Campo Grande, com o intuito de conhecer as técnicas adotadas que podem ser incorporadas em Viena. Assim como muitos países, nós também encontramos dificuldades no que compete à implementação de uma rede de proteção e atendimento à mulher vítima de violência. Por isso, é importante a troca de experiências”, disse a embaixadora.  

 

A Casa da Mulher Brasileira, que amanhã completará quatro anos de existência, oferece serviços integrados, como acolhimento, apoio psicossocial, Delegacia Especializada, 3ª Vara de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher, Promotoria de Justiça, promoção de autonomia econômica, alojamento e central de transportes. Na reunião, o deputado estadual Professor Rinaldo (PSDB) comentou sobre os projetos aprovados pela Assembleia Legislativa, como Maria da Penha Vai à Escola e Agosto Lilás.

 

Paulo Corrêa destacou as ações do Parlamento Estadual, consideradas marcos legais das políticas públicas para as mulheres vítimas de violência. De acordo com a ONU (Organização das Nações Unidas), a violência contra as mulheres persiste em todos os países do mundo como uma violação contundente dos direitos humanos e como um impedimento na conquista da igualdade de gênero.



Untitled Document
Últimas Notícias
Moro pede ao Congresso que se debruce em pacote anticrime
Reitor anuncia implantação de novo curso na UFMS de Naviraí
ISI Biomassa tem infraestrutura para projetos de geração de energia para indústrias
Untitled Document