Untitled Document
QUINTA-FEIRA, 25 DE ABRIL DE 2019
28 de JANEIRO de 2019 | Fonte: Correio do Estado

Excluídos, amigos de Bolsonaro em MS isolam senadora Soraya

Senadora eleita tem suplente inimigo e é acusada de ser tirana e de cuspir no prato que comeu.
Senadora eleita é acusada de cuspir no prato que comeu (Foto: Álvaro Rezende/Correio do Estado

Na guerra por espaço no PSL e na política estadual, a senadora eleita Soraya Thronicke foi isolada pelos amigos do presidente Jair Bolsonaro em Mato Grosso do Sul. Ela é acusada de “dar golpe” para derrubar o seu “inimigo político” e primeiro suplente no Senado, o então presidente do partido, Rodolfo Nogueira. O deputado estadual eleito Coronel David, amigo mais próximo de Bolsonaro no Estado, chamou Soraya de “tirana”. Já Rodolfo, que integrou a equipe de transição do presidente, acusou Soraya de “cuspir no prato que comeu” e de ser “ingrata” com as lideranças políticas responsáveis pela sua indicação para concorrer às eleições ao Senado.

 

A estranheza das lideranças políticas foi Soraya excluir os amigos do presidente Bolsonaro do Diretório Regional do PSL depois de assumir o controle partidário no Estado. Até Bolsonaro manifestou a sua insatisfação com a atitude de Soraya de deixar de fora o seu amigo Coronel David, conforme publicação na coluna de Claudio Humberto, na edição de quinta-feira (24), do Correio do Estado, na página 4.

 

A briga entre as lideranças do PSL começou ainda durante a campanha eleitoral. Soraya acusou seu primeiro suplente, Rodolfo, de ameaçá-la de morte. O caso foi parar na polícia. Ela tentou tirá-lo da suplência e não conseguiu, porque a chapa é indivisível. Ou seja, o afastamento de Rodolfo resultaria, também, na retirada do mandato dela de senadora.

 

Mas Soraya conseguiu derrubá-lo da presidência do PSL e excluiu todos os seus aliados. E o Coronel David, grande amigo de Bolsonaro, foi um deles. Essa seria uma das razões de o coronel recusar qualquer convite para assumir função no diretório com Soraya no comando do partido.

 

Além disso, David disse ter lado e não trairia Rodolfo por ser alvo de acusações da futura senadora. Na mesma situação, estaria o deputado federal eleito Luiz Ovando. Ele até tentou a pacificação no partido em reunião em Brasília. Mas não conseguiu e também não participaria do diretório com a futura senadora no comando geral do partido.



Untitled Document
Últimas Notícias
Conselho Estadual de Agrotóxicos elabora plano para difusão do Manejo Integrado de Pragas em MS
Adolescente morre após ser agredido com enxada
Com faca, homem ameaça e rouba bolsa de mulher
Untitled Document