Untitled Document
QUARTA-FEIRA, 20 DE MARÇO DE 2019
02 de JANEIRO de 2019 | Fonte: FIEMS/DICOM

Longen destaca papel de Tereza Cristina na defesa da agroindústria de MS

Presidente da Fiems, Sérgio Longen, destaca o papel da ministra da Agricultura à frente da defesa da agroindústria estadual.
Deputada federal Tereza Cristina Corrêa da Costa Dias assume o Ministério da Agricultura, Pecuária, Pesca e Desenvolvimento Agrário (Foto: Agência Brasil)

Ao comentar nesta quarta-feira (02/01) a posse da deputada federal Tereza Cristina Corrêa da Costa Dias (DEM/MS) à frente do Ministério da Agricultura, Pecuária, Pesca e Desenvolvimento Agrário, o presidente da Fiems, Sérgio Longen, destaca o papel dela à frente da defesa da agroindústria estadual. “O agronegócio de Mato Grosso do Sul é forte e a ministra Tereza Cristina já demostrou, enquanto secretária estadual e deputada federal, ter capacidade operacional na defesa do setor”, pontuou.

 

Ele acredita que a ministra poderá ajudar, em muito, a agroindústria sul-mato-grossense com projetos de interesse de toda a cadeia produtiva. “Mato Grosso do Sul já é líder mundial na produção de celulose, mas há outros segmentos do setor com projetos voltados para o benefício da nossa agroindústria que precisam do aval do Governo Federal e com ela agora no comando do Ministério da Agricultura, Pecuária, Pesca e Desenvolvimento Agrário será uma grande interlocutora nossa junto à União nessa área da produção”, projetou.

 

Sérgio Longen reforça que Tereza Cristina dará muitas alegrias para toda a cadeia produtiva de Mato Grosso do Sul à frente desse novo desafio na sua carreira política. “Nós, empresários da agroindústria, estamos muito satisfeitos tendo a Tereza Cristina como ministra, pois ela vai trazer, com toda a certeza, resultados satisfatórios para o Estado”, previu.

 

Posse

Ao realizar a cerimônia de posse de seu ministério, Tereza Cristina disse que a Defesa Agropecuária, secretaria assumida por José Guilherme Tollstadius Leal, será um dos focos de sua gestão para evitar danos como os ocorridos na esteira da “Operação Carne Fraca”. Ela iniciou o discurso agradecendo a nova função e parabenizando colegas que assumiram outros ministérios, como Luiz Mandetta (DEM-MS), novo ministro da Saúde.

 

“Temos obrigação de fazer um grande ministério e entregar aos produtores rurais aquilo que eles esperam deste novo governo”, disse a ministra, afirmando que o ex-ministro Blairo Maggi deixou um legado e que sua missão será “fazer mais e melhor”. Sobre as fusões que ocorreram com a reforma ministerial promovida por Bolsonaro, Cristina disse que foi possível “abrigar no mesmo teto áreas afins que já estiveram separadas”.

 

O novo Ministério da Agricultura terá mais atribuições e vai absorver unidades que estavam abrigadas nos ministérios do Meio Ambiente e do Desenvolvimento Social, na Secretaria Especial de Agricultura Familiar e Desenvolvimento Rural, da Casa Civil, e na Secretaria de Mobilidade Social e Cooperativismo da própria Agricultura. “Comemoramos a volta da agricultura familiar, somos convictos que a agricultura empresarial e familiar são o mesmo negócio”, disse. 

 

Sobre a pasta Secretaria Especial de Assuntos Fundiários, a ser comandada por Naban Garcia, a ministra afirmou que será um desafio realizar a titulação das terras familiares, “hoje utilizadas de forma precária”. “Naban, esse será seu desafio”, completou. “O setor agropecuário apoiou em peso a candidatura de Bolsonaro e é natural que haja grande expectativa de inovação no setor, nosso setor é grande e gerador de empregos”, afirmou, mandando um recado para o Banco do Brasil, pedindo crédito e seguro rurais disponíveis, de maneira farta e ágil para os produtores.



Untitled Document
Últimas Notícias
Deputado Herculano Borges faz entrega de emendas e reuniões na Região Sul
EFS Ronan Marques, em Naviraí, realiza ação para saúde da mulher
Escolas do Sesi de Mato Grosso do Sul vão participar da maior feira científica do Brasil
Untitled Document