Untitled Document
QUARTA-FEIRA, 20 DE MARÇO DE 2019
02 de JANEIRO de 2019 | Fonte: G1

Mourão defende que Bolsonaro reveja ato de nomeação de Marun

Ele defende que o ato seja revisto. O presidente Jair Bolsonaro já disse que vai passar um pente-fino nas decisões do antecessor.
Carlos Marun durante cerimônia de transmissão de cargo de ministros no Palácio do Planalto, em Brasília, nesta quarta-feira (Foto: Fátima Meira/Futura Press/Estadão Conteúdo)

O vice-presidente, Hamilton Mourão, classificou como um "prêmio" de Michel Temer a Carlos Marun a nomeação do ex-ministro emedebista para Itaipu Nacional. Na avaliação do vice, "não é ilegal, mas não foi ética".

 

Mourão disse que, na reunião ministerial desta quinta-feira (03/01), o assunto pode ser discutido. Ele defende que o ato seja revisto. O presidente Jair Bolsonaro já disse que vai passar um pente-fino nas decisões do antecessor.

 

"Pode não ser ilegal, mas não foi ética. Todo mundo sabe que o ex-presidente fez isso como prêmio. Depende (a anulação do ato ou não) do presidente, amanhã na reunião ministerial pode ser um tema, Onyx ficou de levar o que precisa ser feito", disse Mourão. Ele diz que vai argumentar pela anulação do ato.

 

Nesta quarta-feira (02/01), Carlos Marun entregou o cargo na Secretaria de Governo ao seu sucessor, general Carlos Alberto dos Santos Cruz.

 

Durante solenidade de transmissão de cargo no Palácio do Planalto, Marun elogiou a gestão de Michel Temer. Disse que o emedebista aprendeu a navegar na "tempestade" e ressaltou que a gestão que se encerrou recuperou o país.

 

"Saímos coma sensação não só do dever cumprido, mas também da vitória", declarou Marun.



Untitled Document
Últimas Notícias
Deputado Herculano Borges faz entrega de emendas e reuniões na Região Sul
EFS Ronan Marques, em Naviraí, realiza ação para saúde da mulher
Escolas do Sesi de Mato Grosso do Sul vão participar da maior feira científica do Brasil
Untitled Document