Untitled Document
QUINTA-FEIRA, 15 DE NOVEMBRO DE 2018
28 de OUTUBRO de 2018 | Fonte: TV Morena

Reinaldo Azambuja é reeleito governador de Mato Grosso do Sul

Atual governador, Azambuja superou o candidato Juiz Odilon no segundo turno.
Reinaldo Azambuja (PSDB) é reeleito governador de Mato Grosso do Sul em segundo turno neste domingo (Foto: TV Morena/Reprodução)

Reinaldo Azambuja, do PSDB, foi reeleito neste domingo (28/10), em segundo turno, governador de Mato Grosso do Sul para os próximos quatro anos. Com 100%% das urnas apuradas por volta das 18h40, Azambuja tinha 677.310 mil votos, o que correspondia a 52,35% dos votos válidos, contra 47,65% de Juiz Odilon (PDT) (confira a apuração completa no estado).

 

A reeleição leva Azambuja ao segundo mandato como governador.

 

Com 100% dos votos apurados, segundo o Tribunal Superior Eleitoral, Azambuja teve 677.310 votos (52,35%) dos votos válidos e Odilon, 616.422 votos (47,65%).

 

• Veja o resultado da apuração: em todo o estado; por zona eleitoral;

 

Votos brancos (2,67%) e nulos (8,07%) somaram 155.642 votos. Houve ainda 427.646 abstenções (22,78%). Somados brancos, nulos e abstenções, chega-se a 583.288 votos.

 

História

Reinaldo Azambuja Silva tem 55 anos, nasceu em 13 de maio de 1963 e, Campo Grande (MS). É produtor rural desde 1982 quando assumiu os negócios da família, e casado desde 1983 com Fátima Silva, com quem tem três filhos, Thiago, Rafael e Rodrigo.

 

Foi prefeito de Maracaju (MS) em 1996 e reelegeu-se em 2000, e neste período atuou como presidente da Associação dos municípios do estado (Assomasul). Em 2006 elegeu-se deputado estadual e em 2010, deputado federal. Em 2012 candidatou-se À Prefeitura de Campo Grande, e teve 25,43% dos votos válidos. Em 2014, foi eleito governador de Mato Grosso do Sul.

 

A campanha de Azambuja

Reinaldo Azambuja fez campanha para a reeleição sem deixar o cargo de governador de MS. No período de campanha, apresentou propostas em entrevistas e participou de dois debates na TV Morena, no dia 03 de outubro e, pelo segundo turno, na última sexta-feira (25/10).

 

Em 12 de setembro deste ano, buscas foram feitas pela Polícia Federal no gabinete de Azambuja na governadoria e na casa dele, como parte da operação Vostok que investigava o suposto pagamento de propina para representantes do governo de Mato Grosso do Sul em troca de créditos tributários a empresas.

 

O filho de Azambuja, Rodrigo Silva, também foi alvo da operação. Ele teve prisão temporária decretada e buscas foram feitas em seu apartamento, na capital. Na tarde de 12 de setembro, pai e filho estiveram na sede da polícia federal em Campo Grande. Azambuja para prestar esclarecimentos, e Rodrigo para apresentar-se.

 

Em entrevista ao MS1 no dia 13 de setembro, Azambuja negou as acusações:

 

“Só ontem que tive oportunidade de falar [em depoimento a Polícia Federal]. Foram 34 perguntas e respondi todas. Perguntaram se tinha recebimento de propina. Eu disse que não. Perguntaram por que a doação oficial, expliquei os detalhes da doação oficial ao partido, ao PSDB. Expliquei os termos de acordo que nós mudamos para 1.199 empresas. Nada a esconder. Respondi 34 perguntas e não ficou nenhuma dúvida, porque não tem dúvida. Eu tenho obrigação de prestar contas a população do meu estado e estou fazendo”.

 

Já na disputa para o segundo turno, em 24 de outubro, uma das investigações sobre pagamento de propina contra Azambuja foi arquivada pelo STJ. O Ministério Público recomendou o arquivamento por falta de provas.

 

Propostas

Os temas que centralizaram a campanha de Azambuja foram saúde e desenvolvimento econômico. Entre as propostas para o próximo mandato, estão a construção de 3 novos presídios e a regionalização do atendimento com ações como a Caravana da Saúde.

 

Na área da saúde, em entrevista ao MS2, disse que pretende abrir 947 novos leitos hospitalares e regionalizar o atendimento no interior.

 

Para a segurança na fronteira, Reinaldo propõe reforçar o efetivo policial e cobrar uma ação mais efetiva da União, responsável por guardar as fronteiras do estado. Para a educação, Azambuja pretende ampliar o ensino em tempo integral, e na cultura, estimular a produção cultural do estado e aumentar o acesso da população aos bens culturais.

 

Sobre logística e mobilidade urbana, Azambuja pretende investir em infraestrutura de qualidade. Para gerir os recursos necessários a essas medidas, o governador reeleito disse que pretende gerir as contas públicas com responsabilidade.

 

Apuração em MS

Atualização em 18h40 com 100% das 6529 urnas apuradas:

Reinaldo Azambuja (PSDB) - 52,35% - 677.310 votos

Juiz Odilon (PDT) - 47,65% - 616.422 votos



Untitled Document
Últimas Notícias
Reinaldo se reúne com Bolsonaro nesta quarta
Homem tenta abusar prima de 8 anos na Capital
Diabetes mata mais de 4,7 mil pessoas em MS
Untitled Document