Untitled Document
TERÇA-FEIRA, 23 DE OUTUBRO DE 2018
01 de OUTUBRO de 2018 | Fonte: G1

Trump critica relação comercial dos EUA com o Brasil

Brasil estaria tratando os EUA injustamente, acusou o presidente norte-americano.
Presidente dos EUA, Donald Trump fala sobre o acordo chamado por ele de USMCA (Foto: Reprodução/Casa Branca)

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, criticou nesta segunda-feira (01/10) as relações comerciais dos EUA com o Brasil. Durante entrevista coletiva na Casa Branca, para falar sobre o acordo comercial entre EUA, Canadá e México, ele sugeriu que o Brasil trata as companhias norte-americanas injustamente.

 

Questionado por um jornalista sobre as relações comerciais do país com a Índia, Trump afirmou que o país asiático cobra "tarifas tremendas", e que presidentes anteriores "nunca falaram com a Índia".

 

"O Brasil é outro caso. É uma beleza. Eles cobram de nós o que querem. Se você perguntar a algumas empresas, eles dizem que o Brasil está entre os mais duros do mundo, talvez o mais duro. E nós não os chamamos e dizemos 'ei, vocês estão tratando nossas empresas injustamente, tratando nosso país injustamente", afirmou.

 

No ano passado, o Brasil teve um superávit de US$ 2,06 bilhões com os Estados Unidos. O país exportou US$ 26,872 bilhões para os norte-americanos e importou US$ 24,846 bilhões. Mas exportações brasileiras para os EUA não superavam as importações desde 2008.

 

Importância dos EUA

Os EUA são o segundo principal destino de embarque de produtos brasileiros, atrás apenas da China. No ano passado, a economia norte-americana recebeu 12,3% do total exportado pelo Brasil. A fatia da China foi de 21,8%.

 

Entre os principais produtos exportados para os EUA, estão óleo bruto de petróleo, aviões e produtos semimanufaturados de ferro e de aço.

 

'Perdemos com todos'

Ao longo do discurso, o presidente dos Estados Unidos criticou várias vezes o tratamento recebido pelo país nas relações comerciais, afirmando ter sido tratado "injustamente" por muitos países.

 

"Todos os acordos que temos é perdedor. Você pode olhar para quase qualquer país no mundo. Quase qualquer país. Nós temos um déficit comercial. Nós perdemos com todos", disse.

 

Segundo ele, é "um privilégio" fazer negócios com os Estados Unidos. "E não estou falando do México, estou falando de todos. É um privilégio para a China, para a União Europeia, que nos tratou tão mal", disse.

 

"É de nós que as pessoas querem vir e tirar. Estou falando sobre todos os países. E isso nos dá uma vantagem tremenda para negociar, que nós nunca usamos antes com administrações passadas", afirmou.



Untitled Document
Últimas Notícias
Sesi destaca melhoria na gestão de SST com eSocial
Chuva desacelera ritmo da moagem de cana na segunda quinzena de setembro
Atacar Poder Judiciário é atacar a democracia, diz presidente do STF
Untitled Document