Untitled Document
QUINTA-FEIRA, 16 DE AGOSTO DE 2018
26 de JULHO de 2018 | Fonte: Correio do Estado

Florestas plantadas cresceram 155% em 11 anos, aponta pesquisa preliminar do IBGE

Pesquisa deve ser concluída em setembro deste ano
O coordenador do Censo, José Aparecido de Lima Albuquerque, afirma que o cenário é bom mas ainda precisam colher mais dados - Foto: Álvaro Rezende/Correio do Estado

Pesquisa premilinar do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontou que as áreas utilizadas para lavouras permanentes tiveram crescimento de 155% entre 2006 à 2017 em Mato Grosso do Sul, sendo as lavouras temporárias aumentaram 55,5% nesse mesmo período. Balanço foi apresentado pelo Censo Agro na manhã desta quinta-feira (26) no IBGE, em Campo Grande

 

As lavouras permanentes, florestas plantadas, são áreas que mesmo após a colheita não necessitam de novo plantio produzindo por vários anos, como por exemplo a seringueira. Essa lavoura em 2006, teve registrado 61.593 mil hectares e passou para 157.087 hectares em 11 anos.

 

Já nas lavouras temporárias que abrange áreas plantadas de curta duração e precisam de novos plantios a cada colheita, como grãos e cana de açúcar, cresceu de 7,2% para 11,6% em 2017.

 

Com esse aumento, as áreas de pastagem sofreram queda de 14,3%. Em 2006 foi contabilizado 14.834 mil hectares e esse valor caiu 12.706 mil hectares. 

 

De acordo com o Coordenador Técnico do Censo Agropecuário do MS, José Aparecido de Lima Albuquerque, isso acontece quando o produtor decide migrar para o plantio de grãos, como a soja por exemplo, e aumenta o campo de lavoura, deixando de aumentar as pastagens. No entanto, Albuquerque afirma que mesmo com a queda nessas áreas, a qualidade da pastagem não caiu.


Estabelecimentos agropecuários

A pesquisa aponta que, em 11 anos, Mato Grosso do Sul cresceu 9%na área total ocupada por estabelecimentos agropecuários, ou seja, o Estado tem a 4ª maior área de estabelecimentos agropecuários do País. Mesmo com os dados preliminares, os dados apontam que em 2006, o Estado tinha 64.684 mil estabelecimentos e aumentou 70.710 mil com área de 29 milhões de hectares. Campo Grande conta com cerca de 1.845 estabelecimentos agropecuários. 


Pesquisa continua

Para Albuquerque, mesmo que o balanço seja preliminar, o Estado está com todos os setores bem e teve grandes destaques nesses 11 anos. “As matas e florestas foram os destaques, porque que teve um aumento significativo até mesmo no plantio de eucalipto nos municípios”, disse.

 

Porém o coordenador do Censo Agro afirma que dados precisam ser coletados, porém não vai alterar em grandes proporções no primeiro resultado. “Ainda vamos coletar alguns dados em municípios e setores que ainda não foram alcançados, como parte da região do Pantanal por exemplo, mas pretendemos colher tudo até setembro deste ano”, finalizou.



Untitled Document
Últimas Notícias
Artista plástico de MS constrói parque de diversões com sucata no quintal de casa
Homem morre ao volante do carro em Dourados
Feridos em explosão na UFRJ estão fora de risco
Untitled Document