Untitled Document
TERÇA-FEIRA, 23 DE OUTUBRO DE 2018
17 de ABRIL de 2018 | Fonte: Correio do Estado

Cidades de MS terão R$ 13,9 milhões de compensação por usinas

Valor será destinado a 13 municípios impactados pelos empreendimentos
Municípios impactados por hidrelétricas terão R$ 48,6 milhões neste ano em MS (Foto: Gerson Oliveira / Arquivo / Correio do Estado)

Treze municípios sul-mato-grossenses impactados por lagos de usinas hidrelétricas vão receber R$ 13,964 milhões a mais por ano de Compensação Financeira pela Utilização de Recursos Hídricos (CFURH). Hoje, estas cidades recebem R$ 33,670 milhões, valor que vai chegar a R$ 48,634 milhões por causa da aprovação na semana passada pelo Senado Federal do PLC 315/2009. O texto depende ainda de sanção presidencial para entrar em vigor.

 

Este incremento de caixa nos cofres municipais vai ocorrer porque o projeto eleva em 20 pontos porcentuais o recurso da CFURH a ser destinado aos municípios. Até agora, 45% do valor total da compensação era destinado aos governos estaduais; 45% para os municípios; e 10% para a União – destes, 3% para o Ministério de Meio Ambiente, 3% para o Ministério de Minas e Energia, e 4% para o Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT).

 

O texto aprovado reduz o percentual de repasse para os estados de 45% para 25%, transferindo essa diferença para os municípios, que passam da faixa de 45% para 65%. 

 

Para o presidente da Associação Nacional dos Municípios Sedes de Usinas Hidroelétricas (AMUSUH) e prefeito de Abdon Batista (SC), Lucimar Salmória, essa vitória é resultado da união das forças políticas dos prefeitos. “A aprovação faz justiça com esses municípios que tanto contribuem para o desenvolvimento do nosso País. Quem ganhou foi o nosso País”, afirmou Salmória. A entidade, que representa 729 cidades distribuídas em 21 estados, luta há quase uma década pela redistribuição da compensação.  



Untitled Document
Últimas Notícias
Sesi destaca melhoria na gestão de SST com eSocial
Chuva desacelera ritmo da moagem de cana na segunda quinzena de setembro
Atacar Poder Judiciário é atacar a democracia, diz presidente do STF
Untitled Document