Untitled Document
SEGUNDA FEIRA, 17 DE DEZEMBRO DE 2018
10 de ABRIL de 2018 | Fonte: Campo Grande News

Polícia busca imagens para identificar vândalos que picharam Fórum em Dourados

Inquérito já foi instaurado pela 1ª Delegacia de Polícia; se identificados, autores serão enquadrados por crime ambiental
Parede do Fórum de Dourados continua manchada de tinta vermelha (Foto: Helio de Freitas)

A Polícia Civil já instaurou inquérito e começou a investigar o ato de vandalismo contra o Fórum João Adolfo Astolfi, sede do Poder Judiciário Estadual em Dourados, a 233 km de Campo Grande. Na madrugada de ontem (9), bexigas com tinta vermelha foram jogadas no prédio e na estátua da deusa grega Têmis, símbolo da justiça.

 

A frase “Lula Livre” foi escrita com a mesma tinta na calçada do Fórum, localizado na Avenida Presidente Vargas, entre as ruas Onofre Pereira de Matos e Antônio Emílio de Figueiredo, área central de Dourados.

 

O delegado titular da 1ª Delegacia de Polícia, Adilson Stiguivitis, disse que os investigadores estão vendo as imagens de câmeras de segurança de prédios próximos, já que as gravações feitas pelo sistema de monitoramento do Fórum não ajudaram a identificar os vândalos. Segundo ele, se forem identificados os vândalos serão autuados por pichação, que é crime ambiental, com pena de três meses a um ano de reclusão e pagamento de multa.

 

Em nota oficial, a Amansul (Associação dos Magistrados de Mato Grosso do Sul) repudiou a pichação do Fórum de Dourados. “As decisões do Poder Judiciário são, pela Constituição Federal, tomadas com base na lei e devidamente fundamentadas, não gozando de coloração partidária ou ideológica!”, afirma a entidade.

 

A diretora do Fórum, juíza Daniela Tardin, também lamentou o ato e disse que a liberdade de manifestação não dá direito a atos de vandalismo e contra o patrimônio.



Untitled Document
Últimas Notícias
Prefeitura de Naviraí antecipa e quita o 13º salário dos servidores nesta sexta
Forcell Celulares agora é franqueada Conserta Smart em Naviraí
Após 2 anos foragido, indígena é preso por tortura de policiais
Untitled Document