Untitled Document
QUINTA-FEIRA, 19 DE JULHO DE 2018
16 de MARÇO de 2018 | Fonte: Correio do Estado

ANTT propõe reduzir pedágio para “punir” CCR por paralisação das obras na BR-163

Informação foi divulgada hoje durante audiência pública sobre o assunto
Audiência foi realizada na Assembleia Legislativa (Foto: Valdenir Rezende/Correio do Estado)

O gerente de fiscalização e controle de operações substituto da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT),  Anderson Santos Bellas, propôs, nesta sexta-feira (16), durante audiência pública para debater a paralisação das obras de duplicação da BR-163, que o valor do pedágio seja reduzido como forma de “punir” a CCR MSVia pelos atrasos nas obras.

 

Bellas enfatizou que, a responsabilidade da ANTT é fiscalizar o cumprimento do contrato e que o preço da tarifa deve ser proporcional ao estado da rodovia.

 

O diretor-presidente da CCR MSVia, Roberto de Barros Calixto, justificou que, os atrasos nas obras são decorrentes da falta de dinheiro, do cenário econômico. Ele apresentou planilhas sobre o trabalho que deveria ter sido realizado e aquele que realmente já foi feito.

 

Conforme o contrato original firmado com a ANTT, a CCR MSVia deve duplicar 322,5 quilômetros da BR-163. Até agora, 138,5 quilômetros foram duplicados. Existem algumas metas de trabalho, conforme o ano de concessão que não foram alcançadas.

 

No primeiro ano de concessão foram duplicados 138,5 quilômetros, ultrapassando a meta de 129.

 

Para o segundo ano, o contrato prevê mais 193,5 quilômetros de duplicação. Somados, os  trechos duplicados até o segundo ano seriam de 322,5 quilômetros. Ocorre que, o prazo vence em maio deste ano, e até agora, 184 quilômetros ainda nem começaram.

 

Calixto defende que a duplicação seja retomada, mas tira a responsabilidade da empresa. “Pode ser pela CCR ou não”, declarou dando a entender que a empresa pode sair da concessão.

 

O secretário de Infraestrutura, Marcelo Miglioli, criticou a postura dos prefeitos dos municípios onde passa a BR-163. Isto porque eles querem a retomada das obras sem a revisão do contrato.

 

Além dos representantes da ANTT, CCR MSVia, e do secretário de infraestrutura, o ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun (MDB), os senadores Waldemir Moka (MDB) e Pedro Chaves (PRB) também compareceram.



Untitled Document
Últimas Notícias
Brasileiro chefe do PCC preso em Assunção tinha ajuda de policial paraguaio
São Paulo vende 47 mil ingressos para Majestoso no Morumbi
Soja responde por 16% das exportações brasileiras no semestre
Untitled Document