Untitled Document
SÁBADO, 22 DE SETEMBRO DE 2018
23 de FEVEREIRO de 2018 | Fonte: G1-MS

MS termina 2017 com o quarto menor índice de desemprego do país, aponta IBGE

Estado teve uma taxa média anual de desocupação de 8,4%.
Agência pública de emprego em Campo Grande (MS) faz plantão para atender desempregados na cidade (Foto: Reprodução/TV Morena)

Mato Grosso do Sul terminou 2017 com o quarto menor índice de desemprego do país, de acordo com dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) trimestral, divulgada nesta sexta-feira (23), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

 

De acordo com os dados tabulados pelo G1, o estado teve uma taxa média anual de desocupação de 8,4%, ficando atrás somente de Santa Catarina, com 7,1%, Rondônia, com 8,1% e do Rio Grande do Sul, com 8,3%. Ficou bem abaixo também da média nacional, que foi de 12,7%.

 

Em contrapartida, as maiores as maiores taxas médias anuais de desocupação em 2017 foram registradas no Amapá (17,7%), Pernambuco (17,6%) e Bahia (16,9%).

 

A PNAD aponta que no último trimestre de 2017 (outubro, novembro e dezembro), o estado registrou um nível de ocupação de 60,7%. Com uma população em idade de trabalhar de 2,119 milhões de pessoas, 1,286 milhão estavam ocupadas neste período e 101 mil desocupadas. Outras 731 mil estavam fora da força de trabalho.

 

Das pessoas ocupadas, 465 mil eram empregados do setor privado com carteira assinada, 145 mil funcionários do segmento sem formalização, 107 mil eram empregos domésticos, 184 mil servidores públicos, 76 mil empregadores, 288 mil trabalhavam por conta própria e 22 mil atuavam como trabalhadores familiares auxiliares.

 

Entre os grupamentos de atividades, o segmento que mais empregava no estado no fim de 2017 era o de “comércio e de reparação de veículos automotores e motocicletas”, com 247 mil. Na sequência, apareceram a “administração pública, defesa, seguridade social, educação, saúde humana e serviços sociais”, com 228 mil trabalhadores e em terceiro a “agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura”, com 153 mil.

 

O rendimento mensal médio dos trabalhadores ocupados no estado, conforme os dados do último trimestre do ano passado apurados pela PNAD, era de R$ 2.132, sendo a maior remuneração média do grupo “administração pública, defesa, seguridade social, educação, saúde humana e serviços sociais”, com R$ 3.057.

 

A massa de rendimento dos salário pagos em Mato Grosso do Sul nos três últimos meses de 2017 foi de R$ 2,693 bilhões.



Untitled Document
Últimas Notícias
Capital e Dourados sediam festival paralímpico
Bolsonaro critica 'oportunismo político' em post
Cinco PRFs de MS são presos por ligação com cigarreiros
Untitled Document