Untitled Document
SEXTA-FEIRA, 24 DE NOVEMBRO DE 2017
10 de OUTUBRO de 2017 | Fonte: Campo Grande News

Justiça atende novo pedido da CPI e bloqueia mais R$ 615 milhões da JBS

Semana passada, TJMS já tinha restrito R$ 115 milhões e bens da unidades da empresa em MS

A 1ª Vara de Direitos Difusos, Coletivos e Individuais de Campo Grande bloqueou mais R$ 615 milhões da JBS. A decisão saiu nesta segunda-feira, dia 9, e soma-se aos R$ 115 milhões que já foram restritos.

 

A determinação judicial atende pedido da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Assembleia Legislativa de MS, que investiga benefícios fiscais concedidos a empresas pelo governo estadual.

 

Com os dois bloqueios, chega-se ao montante de R$ 730 milhões. Em nota, a empresa se manifestou sobre a decisão de hoje afirmando que não tem conhecimento sobre a decisão e, por isso, não irá comentá-la. Na primeira restrição, a JBS afirmou que iria recorrer judicialmente.

 

Conforme a assessoria do colegiado, que é presidido pelo deputado Paulo Corrêa (PR), o bloqueio de hoje se refere a quatro Tares (Termos de Acordo de Regime Especial).

 

Em todos estes acordos, a JBS recebeu incentivos para retirada de boi vivo do Estado.

 

Até agora, a análise feita pela CPI nas notas fiscais aponta que a maior irregularidade cometida nestes acordos foi a repetição de notas, visando a composição da base de cálculo para a concessão de mais benefícios fiscais.

 

As unidades alvo do primeiro bloqueio ficam em Campo Grande (duas), Coxim, Nova Andradina, Sidrolândia, Cassilândia, Ponta Porã e Naviraí. O grupo que mantém a CPI também vai pedir na Justiça o bloqueio de mais R$ 615 milhões referentes a outros quatro Tares (Termos de Acordo de Regime Especial) que não teriam sido cumpridos.

 

A empresa deveria investir R$ 285 milhões nas oito unidades, no entanto antes das visitas marcadas pela CPI, a JBS enviou comunicados reconhecendo que não havia cumprido tais organizações, se tornando, para os deputados, "ré confessa".



Untitled Document
Últimas Notícias
Fiems disponibiliza treinamento sobre gestão de SST na era do e-Social para as indústrias
Maioria do STF vota pela restrição ao foro privilegiado para parlamentares
Novo texto da reforma mantém idade mínima de 65 para homens e 62 para mulheres
Untitled Document