Untitled Document
SEGUNDA FEIRA, 16 DE OUTUBRO DE 2017
21 de JULHO de 2017 | Fonte: Agência EFE

Venezuela registra maior número de prisões em um único dia desde abril

Mais de 100 pessoas foram presas na província de Zulia, no oeste do país e perto da fronteira com a Colômbia.

As forças de segurança da Venezuela prenderam pelo menos 261 pessoas durante uma greve geral de 24 horas convocada ontem (20/07) pela oposição para protestar contra o governo do presidente Nicolás Maduro.

 

"261 detenções por protestos verificadas até agora. Desde o dia 1º de abril, é a segunda maior quantidade de presos em um dia após 19 de abril", disse em mensagem publicada no Twitter o diretor-executivo da organização de defesa dos direitos humanos Foro Penal Venezuelano (FPV), Alfredo Romero.

 

Do total, mais de 100 pessoas foram presas na província de Zulia, no oeste do país e perto da fronteira com a Colômbia. Em Nova Esparta, no nordeste da Venezuela, houve 43 detenções. As informações são da agência de notícias EFE.

 

Segundo o balanço do FPV, há presos em 11 dos 25 estados do país. Caracas, a capital, e Carabobo, no norte, seguem na lista com mais presos, com dez e sete, respectivamente.

 

Além disso, dois jovens morreram durante uma manifestação na cidade de Los Teques, ao sudoeste de Caracas. Já em Carabobo, em dois incidentes confirmados pelo Ministério Público (MP) da Venezuela, nove pessoas ficaram feridas.

 

Várias fontes informaram sobre a morte de outras duas pessoas em incidentes relacionados com a greve geral, mas a notícia ainda não foi confirmada pelo MP.

 

A greve é parte da segunda fase de pressão contra o governo de Maduro, iniciada pela oposição depois do plebiscito convocado no último domingo, no qual 7,5 milhões de venezuelanos disseram ser contrários à Assembleia Nacional Constituinte convocada pelo presidente para modificar a Carta Magna do país.

 

A Venezuela vive desde 1º de abril uma onda de manifestações contrárias e favoráveis ao governo. Várias delas foram reprimidas, gerando confronto entre simpatizantes da oposição e das forças de segurança, o que já provocou a morte de 98 pessoas.

 

Segundo dados do FPV, que presta assistência jurídica aos presos, mais de 4 mil pessoas foram detidas durante os protestos. Do total, mais de mil seguem atrás das grades.

 

Greve termina com 2 mortos

A greve geral paralisou zonas inteiras em várias cidades e terminou com dois mortos e pelo menos 173 detenções. Manifestantes bloquearam as ruas com lixo, galhos de árvore e outros obstáculos e entraram em confronto com as forças de segurança em Caracas e no interior do país.

 

Ronney Tejera, de 24 anos, morreu ao ser ferido por arma de fogo em uma manifestação na cidade de Los Teques, ao sudoeste de Caracas, em um incidente confirmado pelo Ministério Público da Venezuela. Outras três pessoas ficaram feridas.

 

Outra morte confirmada é a de Andrés Uzcátegui, de 23 anos, durante uma manifestação cidade de Valencia, no estado do Carabobo, na qual também foram registrados seis feridos, segundo o MP, o que eleva para 98 as mortes durante a onda de protestos no país.



Untitled Document
Últimas Notícias
Vendedor ambulante morre preso às ferragens em acidente na BR-163
21ª Copa Chama é encerrada com festa para as crianças
Sicredi apoia projeto de Ballet
Untitled Document