Untitled Document
TERÇA-FEIRA, 19 DE SETEMBRO DE 2017
12 de JULHO de 2017 | Fonte: G1-MS

Centro que reabilita animais silvestres apreendidos ou feridos está com capacidade máxima em MS

CRAS está atendendo cerca de 700 animais atualmente. Mais de 70% são aves e boa parte foi apreendida com traficantes de animais.
Felinos estão entre os animais que são atendidos no CRAS em Campo Grande (Foto: Reprodução/TV Morena)

O Centro de Reabilitação de Animais Silvestres (CRAS), em Campo Grande, está operando com sua capacidade máxima. Atualmente, está atendendo cerca de 700 bichos, a maior parte, quase 70% são aves, mas também são acolhidos e tratados mamíferos e répteis.

 

O CRAS recebe, tria e reabilita animais silvestres aprendidos em ações de combate ao tráfico, os atropelados nas rodovias, bem como os entregues voluntariamente pela população.

 

É na instituição que esses animais ganham uma nova chance. No local, eles recebem alimentação e tratamento adequados e mais que isso, respeito! Algo que os bichinhos não tinham antes de chegarem ao cento.

 

De cada dez animais acolhidos pelo CRAS, sete são aves e a maior parte, papagaios. No caso destes pássaros, normalmente, chegam bastante estressados porque passaram muito tempo amontoados em caixas ou gaiolas. E aí, o primeiro trabalho dos veterinários e biólogos da instituição é acalmá-los.

 

“Eles chegam muito debilitados. Desidratados. Então é feita uma avaliação e esses animais são separados. Depois que estiverem se alimentando sozinhos e voando dentro do recinto, no caso das aves, vão para o treinamento de voo, cujo objetivo é fortalecer a musculatura. Isso é feito em um recinto grande, em que podem voar de um lado para o outro”, explica Nara Pontes, coordenadora do CRAS.

 

A coordenadora comenta que os 700 animais que a instituição atende no momento é o limite máximo que a estrutura e os recursos humanos disponíveis comportam. Os profissionais trabalham pra colocar as aves e mamíferos que estão sendo atendidos no local de volta ao habitat natural. Quando fazem isso, abrem espaço pra receber novos animais.

 

“Se o animal apreendeu a se alimentar e yem plena capacidade para buscar o alimento sozinho, ele já pode ser solto”, comenta a coordenadora do CRAS.

 

Muitos dos animais atendidos pelo CRAS são encontrados em apreensões feitas pela Polícia Militar Ambiental (PMA). Mato Grosso do Sul é considerado um rota de tráfico de animais. Muitos são trazidos de outros países da América do Sul.

 

Somente a unidade de Campo Grande da PMA encaminhou no primeiro semestre deste ano mais de 350 animais aos CRAS.



Untitled Document
Últimas Notícias
Naviraí terá casamento comunitário em outubro
APT Logística é reinaugurada em novo endereço em Naviraí
PF incinera nove toneladas de maconha e cocaína
Untitled Document