Untitled Document
SEXTA-FEIRA, 20 DE OUTUBRO DE 2017
31 de MAIO de 2017 | Fonte: Gazeta do Povo

Chineses compram empresa bilionária do Paraná

A?transação começou há cerca de um ano e acaba de ser aprovada sem restrições pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica.

A empresa bilionária Belagrícola, de Londrina, no Norte do Paraná, teve 53,99% das ações vendidas ao grupo chinês DKBA. O valor envolvido na transação não foi revelado. A transação começou há cerca de um ano e acaba de ser aprovada sem restrições pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica. Apesar do grupo estrangeiro passar a deter o controle da Belagrícola, a gestão segue sob responsabilidade dos sócios paranaenses.

 

A Belagrícola, cujo ramo principal é a comercialização de grãos e insumos, faturou, em 2016, R$ 2.8 bilhões. Segundo Flavio Andreo, CEO da companhia, com a injeção de capital o negócio deve aumentar em duas vezes seu tamanho nos próximos cinco anos.

 

Andreo relata que a negociação começou há cerca de um ano. “Esse grupo chinês veio ao Brasil com o interesse de investir no mercado agrícola. Eles pesquisaram o setor com a intenção de ficar o mais próximo possível da produção, mas sem ser dono de terras”, disse.

 

A DKBA, em um primeiro momento, adquiriu a empresa Fiagril, em Lucas do Rio Verde, no Mato Grosso, que tem um perfil parecido com o da Belagrícola. Os chineses então procuraram assessores para ajudá-los, pois queriam adquirir outra companhia do ramo. “A indicação de uma empresa com uma sinergia grande e muito semelhante em tamanho e modelo de negócio, mas abrangendo o Sul do Brasil, foi a Belagrícola”, disse o CEO.

 

Hoje a empresa do interior do Paraná atua em outros dois estados: Santa Catarina e São Paulo. São 38 unidades de recebimento de grãos, com um total de 55 lojas de insumos. A companhia emprega 1.600 pessoas no País e já é uma das maiores do setor no Brasil.

 

Andreo disse que hoje a Fiagril e a Belagrícola compartilham o mesmo sócio majoritário, porém, as duas seguirão com administrações independentes. A Fiagril terá seus negócios voltados à metade norte do Brasil e a Belagrícola voltará seus esforços à metade sul. “Existe uma ideia de expansão dos nossos negócios para outros estados”, disse o CEO.

 

A Belagrícola

A Belagrícola surgiu em 1985 em Bela Vista do Paraíso, próximo a Londrina. Desde então a organização cresceu para tomar o posto de uma das 1.000 maiores empresas do Brasil, no ranking da Revista Exame. A empresa do interior paranaense também ocupa a 26ª colocação entre as maiores da Região Sul em vendas líquidas.

 

O CEO Flavio Andreo, que também é um dos sócios do negócio, relata que há alguns anos a empresa vem investindo no melhoramento da sua governança. “Apesar de ser uma empresa familiar, começamos a auditá-la há mais de cinco anos, também contratamos diretores independentes da família e foi criado um conselho”, disse.

 

Sobre o negócio com a empresa chinesa, Andreo enfatiza a postura dos representantes do país asiático. “Faz mais de um ano que viemos conversando. Me surpreendeu positivamente a forma como abordam o tema brasil. Eles têm um respeito muito grande pelo País, entendem a importância do Brasil para eles. Acredito que essa é uma chance [de investimentos] que o nosso país tem que aproveitar melhor”, disse. (Fonte: Gazeta do Povo – AGRONegócio)



Untitled Document
Últimas Notícias
Izauri assina contrato para construção de 59 casas no Interlagos II
Empreendedores de Maracaju recebem curso de gestão financeira
Jogos entre brigadistas ocorre neste sábado na Copasul
Untitled Document