Untitled Document
SEGUNDA FEIRA, 26 DE JUNHO DE 2017
31 de MAIO de 2017 | Fonte: G1

Desemprego fica em 13,6% e atinge 14 milhões, aponta IBGE

Na comparação com o trimestre terminado em abril houve leva queda de 0,1 ponto percentual. Na comparação com o trimestre terminado em janeiro, outro método, houve leve alta de 1 ponto percentual.
Resultado de imagem para desemprego
No primero trimestre deste ano, a taxa foi de 13,7% e atingiu 14,2 milhões de pessoas (Foto: Divulgação)

O desemprego ficou em 13,6% no trimestre de fevereiro a abril, segundo dados divulgados pesquisa Pnad Contínua, divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísica (IBGE), nesta quarta-feira (31). De acordo com o levantamento, o contingente de desempregados ficou em 14 milhões.

 

O IBGE usa diversas comparações. Na comparação com o trimestre terminado em abril houve leva queda de 0,1 ponto percentual, quando a taxa ficou em 13,7%. Na comparação com o trimestre terminado em janeiro, outro método, houve leve alta de 1 ponto percentual (12,6%).

 

De acordo com o coordenador de Trabalho e Rendimento do IBGE, Cimar Azeredo, foi o menor patamar de pessoas ocupadas com carteira de trabalho assinada de toda a série histórica da pesquisa, iniciada em 2012. Segundo o IBGE, esta é a maior taxa de desocupação do trimestre terminado em abril desde 2012, quando foi de 7,8%.

 

No primero trimestre deste ano, a taxa foi de 13,7% e atingiu 14,2 milhões de pessoas.

 

A taxa de 13,6% no trimestre encerrado em abril é maior do que a registrada no mesmo período de 2016, quando ficou em 11,2%, um crescimento de 2,4 pontos percentuais.

 

Também aumentou a população desocupada. O crescimento foi de 8,7% em relação ao trimestre de novembro a janeiro e de 23,1% na comparação com o mesmo trimestre do ano anterior. Isso significa que há 1,1 milhões de pessoas na fila por emprego a mais que em janeiro e 2,6 milhões a mais que em abril do ano passado.

 

Segundo o IBGE, o avanço do desemprego é acompanhado pela queda no número de pessoas ocupadas. No trimestre terminado em abril havia 89,2 milhões de pessoas ocupadas no país - 700 mil pessoas a menos ocupando postos de trabalho que no trimestre terminado em janeiro e 1,4 milhões a menos que no trimestre terminado em abril do ano passado. A queda foi de, respectivamente, 0,7% e 1,5%.

 

O número de empregados no setor privado com carteira de trabalho assinada, estimado em 33,3 milhões de pessoas, caiu 1,7% na comparação com trimestre de novembro de 2016 a janeiro de 2017 (menos 572 mil pessoas). Frente ao trimestre de fevereiro a abril de 2017, houve queda de 3,6%, o que representou a perda de aproximadamente 1,2 milhão de pessoas nessa condição.

 

Renda

De acordo com a Pnad, o rendimento médio habitualmente recebido em todos os trabalhos (R$ 2.107) ficou estável tanto em relação ao trimestre terminado em janeiro (R$ 2.095) quanto na comparação com o trimestre terminado em abril do ano passado (R$ 2.052).



Untitled Document
Últimas Notícias
Cassems tem aprovação de 81% dos usuários do Estado, aponta pesquisa
Temer sanciona lei que permite preço diferente para cada forma de pagamento
Empresários do Estado terão 15 dias para pagar ICMS de mercadorias
Untitled Document