Untitled Document
QUARTA-FEIRA, 28 DE JUNHO DE 2017
22 de MAIO de 2017 | Fonte: G1-MS

Filho de dono de frigorífico morre em acidente

Caminhonete em que estava Eduardo Chramosta foi encontrada em uma ribanceira, em uma curva da estrada. Frigorífico é citado em delações da JBS.
Hilux ficou completamente destruída em acidente na BR-262, em Terenos. (Foto: Direto das Ruas)

O empresário do setor frigorífico Eduardo Chramosta, de 37 anos, morreu em acidente na BR-262, próximo ao município de Terenos, a 23 quilômetros de Campo Grande. A caminhonete em que ele estava foi localizada totalmente destruída em uma ribanceira, próxima a uma curva, por volta das 10h deste domingo (21), pela Polícia Rodoviária Federal (PRF).

 

Eduardo é um dos filhos de Paulo Pavel Chramosta, proprietário da Buriti Comércios de Carne, em Aquidauana. Ele trabalhava com a família no empreendimento e em 2012 foi candidato a vereador pelo PSDB, no município de Anastácio.

 

Segundo a irmã da vítima, Raquel Chramosta, a suspeita é que ele tenha sofrido o acidente na noite deste sábado, quando viajava para Aquidauana. “Como a caminhonete é toda preta, isso pode ter contribuído para que fosse encontrada somente neste domingo”, explicou.

 

Após ser retirado da caminhonete, o corpo foi encaminhado para o Instituto Médico e Odontológico Legal (IMOL), em Campo Grande.

 

Segundo a família, o velório será realizado a partir das 7h desta segunda-feira (22), no cemitério Parque das Primaveras, em Campo Grande. O sepultamento será realizado no mesmo local, às 13h30. O empresário deixa esposa, e dois filhos, com 2 e 5 anos.

 

A Buriti Comércios de Carne foi citada nas delações dos donos e executivos da JBS na operação Lava Jato, como uma das empresas que teria fornecido notas fiscais frias, em torno de R$ 12,9 milhões, para justificar o pagamento de propina ao governador Reinaldo Azambuja (PSDB), em troca da concessão de incentivos fiscais.



Untitled Document
Últimas Notícias
Ladrões furtam R$ 1 mil em 'kit churrasco'
Homem capota carro com 500kg de drogas
Em 5 anos, cresce a participação de idosos no mercado formal de trabalho
Untitled Document