Untitled Document
SEGUNDA FEIRA, 11 DE DEZEMBRO DE 2017
15 de MAIO de 2017 | Fonte: G1-MS

MS deve se tornar um dos líderes em piscicultura no país

Outorga para o uso do espaço físico foi concedida pelo Mapa. Empresas vencedoras da licitação vão ter condição de produzir até 120 ml toneladas por ano.
Tanques rede em atividade no reservatório da usina hidrelétrrica de Ilha Solteira (Foto: Arquivo: Kenety Oliveira/ Ascom MPA)

Mato Grosso do Sul deve se transformar nos próximos anos em um dos principais produtores nacionais de peixes com a instalação de 554 hectares de tanques-redes para a criação de tilápias nos lagos das usinas hidrelétricas de Jupiá e Ilha Solteira, no rio Paraná.

 

A instalação dos tanques-rede foi autorizada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) por meio de uma licitação para a concessão do uso do espaço físico. Os envelopes com as propostas do certame foram abertos na quinta-feira (11) e as empresas Tilabrás e GeneSeas foram as vencedoras.

 

Segundo a secretaria estadual de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro), pelo direito de uso dos lagos por 20 anos, as empresas vão pagar a União R$ 2,14 milhões. A previsão é que juntas, as vencedoras da licitação tenham condições de produzir até 120 mil toneladas por ano, quase cinco vezes a produção do estado no ano passado, 24,1 mil toneladas e superior, a do Paraná, primeiro no ranking nacional, com 93,6 mil toneladas.

 

Para atingir esse volume de produção as duas empresas apostam em suas estruturas. De acordo com a Semagro, a GeneSeas é especialista em aquacultura e líder no mercado brasileiro e possui frigorífico instalado em Aparecida do Taboado com capacidade para abate de 20 mil toneladas por ano. Já a Tilabrás está implantando o maior frigorífico de tilápia do mundo. A unidade instalada com investimento de R$ 150 milhões, fica em Selvíria.

 

“Nosso foco agora é o encadeamento produtivo da piscicultura. Vamos buscar integrar os produtores da região e também de outras regiões do estado”, disse o secretário de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar, Jaime Verruck.

 

O superintendente federal de Agricultura no estado, Celso Martins, disse que já existem outros sete projetos semelhantes para a mesma região e a perspectiva é que a piscicultura ganhe impulso e se torne um dos carros-chefes da economia estadual nos próximos anos. “Junto com esses projetos vem o produtor de ração, o frete, os entrepostos. São milhares de empregos diretos e indiretos e um aumento considerável na renda”, apontou.

 

Tanque-rede

Os tanques-rede são estruturas instaladas no leito dos rios ou lagos. O produtor utiliza as águas do rio para criar os peixes, o que facilita a adaptação das espécies e resulta em maior produtividade. É um sistema muito utilizado no mundo todo e crescente no Brasil e que se constitui em uma prática ambiental mais vantajosa, pois impede que se construam enormes espelhos d’água para a criação de peixes, utilizando as já disponíveis na natureza.



Untitled Document
Últimas Notícias
Lideranças evangélicas se reúnem em Campo Grande
Pai e filho são levados para delegacia ao trocarem socos por conta de crack
Preço do gás em MS sobe 5 vezes mais que a inflação
Untitled Document