Untitled Document
QUINTA-FEIRA, 27 DE JULHO DE 2017
12 de ABRIL de 2017 | Fonte: G1-MS

CCR MS Via paralisa obras de duplicação da BR-163 em MS

A concessionária alega baixa arrecadação e protocolou pedido de revisão de contrato na Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).

A concessionária CCR MS Via anunciou na manhã desta quarta-feira (12) a paralisação das obras de duplicação da BR-163, em Mato Grosso do Sul. A empresa protocolou na Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) pedido de revisão de contrato. A justificativa seria uma redução de 35% na arrecadação prevista inicialmente.

 

O presidente da concessionária, Roberto de Barros Calixto, explica os motivos da paralisação. “Hoje nós estamos na ordem de 35% abaixo do plano original que foi previsto pra elaboração de todos os estudos técnicos operacionais. Essa redução ocorre principalmente devido à recessão, que foi decorrência da nossa crise econômica, política que já se alonga por três anos”.

Maioria dos atendimentos da CCR MSVia a condutores é sobre problemas mecânicos (Foto: Reprodução/TV Morena)
Maioria dos atendimentos da CCR MSVia a condutores é sobre problemas mecânicos (Foto: Reprodução/TV Morena)

Calixto apontou as principais reivindicações da concessionária “Nós não pedimos reajuste, nós pedimos uma revisão do contrato, nós queremos que volte as condições normais de financiamento, a licença ambiental seja regularizada e nós propomos que a duplicação, as obras de melhoramento da BR-163, seja feita em função de parâmetros técnicos, atendendo o nível de serviço da rodovia”.

 

Ainda de acordo com Calixto, apesar da paralisação das obras de duplicação, a cobrança de pedágio continua normalmente, isso porque, segundo ele, a prestação de serviço e a manutenção da rodovia estão mantidas.

 

Contrato de duplicação

O valor previsto do contrato para a duplicação da BR-163 é de R$ 6,5 milhões. A rodovia tem 845 quilômetros, que passam por Mato Grosso do Sul. Ela começa em Sonora, na divisa com Mato Grosso, e vai até Mundo Novo, na divisa com Paraná. A estrada passa por 21 cidades onde vivem 1,3 milhão de pessoas. Por dia, 46 mil veículos trafegam pela rodovia. A empresa assumiu a concessão em abril de 2014 para administração por 30 anos.

 

As obras de duplicação tiveram início em julho de 2014. A cobrança de pedágio começou quando 10% da rodovia já tinham pista duplicada. A previsão inicial era de que as obras terminassem em 2020. Até agora foram duplicados 138,5 quilômetros. Até o momento foram injetados nas obras R$ 1,9 bilhão, entre obras, serviços, equipamentos e impostos

 

Ao todo, são 9 praças de pedágio no estado, com tarifas que custam até R$ 7,40. Para percorrer toda a rodovia de carro é preciso desembolsar R$ 55,40, o valor que é maior para carretas, caminhões e ônibus.



Untitled Document
Últimas Notícias
Fiems, Fecomércio, Governo e Consulado criam Câmara de Comércio e Indústria MS-Argentina
Campo Grande recebe o Megaleilão Montana 2017
Rádio Cultura AM de Naviraí é autorizada a migrar para FM
Untitled Document