Untitled Document
SEGUNDA FEIRA, 24 DE JULHO DE 2017
03 de ABRIL de 2017 | Fonte: Correio do Estado

Tarifa de energia no Estado deve cair para 970 mil clientes

Aneel define amanhã índice de cobrança para consumidores
Nos últimos meses queda na tarifa de energia em outros estados variou 1,81% a 10.58% (Foto: Valdenir Rezende/Correio do Estado)

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) vai definir amanhã, o novo valor da tarifa de energia de 970 mil consumidores atendidos pela EMS (Energisa Mato Grosso do Sul Distribuidora de Energia), que começa a vigorar em 8 de abril. Diferente de outros anos, a Agência deve reduzir a tarifa por causa dos custos menores da empresa na destruição da energia. Nos últimos dois meses, a queda em outros estados variou entre de 1,81% a 10,58%.

 

 Como no cálculo é levado em consideração a variação dos custos associados à prestação do serviço, bem como a aquisição e a transmissão de energia elétrica e os encargos setoriais, a Aneel, no dia 21 de março, reduziu em 1,81% a tarifa de energia dos 46 mil consumidores da Companhia Luz e Força de Mococa. Na mesma data foi aprovada a diminuição de 10,58% na energia cobrada de 207 mil consumidores atendidos pela Companhia Luz e Força Santa Cruz – CPFL Santa Cruz. A empresa atende 24 municípios de São Paulo e em três municípios do Paraná.

 

Na mesma reunião da diretoria da Agência houve redução de 2,87% as tarifas da Companhia Sul Paulista de Energia (CPFL Sul Paulista). A empresa atende 84 mil unidades consumidoras localizadas nos municípios paulistas de Itapetininga, São Miguel Arcanjo, Guareí, Sarapuí e Alambari.

 

Já no dia 14 de março, a queda na tarifa foi de 6,46% para a Ampla Energia e Serviços S.A, que atende 2,6 milhões de unidades consumidoras localizadas em 66 municípios do Rio de Janeiro.

 

Em fevereiro, outra empresa do Grupo Energisa, a Borborema Distribuidora de Energia, teve de reduzir em 1,91% a tarifa. Neste caso, não foi análise do reajuste tarifário, o processo envolvia a revisão tarifária de 207 mil unidades consumidoras localizadas em Campina Grande e outras cinco cidades do interior da Paraíba.

 

Para o deputado federal Elizeu Dionizio (PSDB/MS), “por causa destas decisões que levam em conta o custo para distribuir a energia elétrica, desde a compra na usina até os medidores nos imóveis, a energia elétrica paga pelos consumidores da EMS no Estado deve seguir a tendência o nacional e também cair”. O parlamentar acompanha as variações da tarifa desde 2015, quando assumiu o mandado de deputado federal, e também apresentou nas comissões de Fiscalização Financeira e Controle (CFFC) e na Finanças e Tributação (CFT) da Câmara dos Deputados, requerimentos  convocando Romeu Rufino, que à época era o diretor-geral da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) para  explicar o que fizeram para investigar ‘mensalão’ na Enersul (Empresa Energética de Mato Grosso do Sul, que pertenceu ao  Grupo Rede Energia), que lesou em torno de R$ 700 milhões consumidores e acionistas.

 

A decisão sobre o novo valor da tarifa vai ser na próxima terça-feira, a partir das 9h, em reunião da diretoria da Aneel. O relator do processo é o diretor Reive Barros dos Santos.



Untitled Document
Últimas Notícias
Morre em São Paulo o ex-goleiro Waldir Perez
Ladrão usa capacete de moto para roubar celular de jovem
Mistão do Palmeiras vence o Sport fora de casa
Untitled Document