Untitled Document
DOMINGO, 28 DE MAIO DE 2017
22 de FEVEREIRO de 2017 | Fonte: Campo Grande News

Moradora encontra 30 escorpiões dentro de casa e especialista faz alerta

Família tenta combater os aracnídeos quimicamente, o que não é recomendado
Alguns escorpiões que a família de Bárbara conseguiu recolher (Foto: Direto das Ruas)

Imagine se deparar com cerca de 30 escorpiões dentro de casa em uma semana. Foi o que aconteceu com a confeiteira Bárbara de Souza Medeiros, 24 anos, que mora com a avó e o tio na Vila Sobrinho, em Campo Grande. No domingo (19) ela foi picada por um deles e precisou ficar em observação no hospital.

 

Acontece que as altas temperaturas do Verão favorecem o aparecimento dos escorpiões e a população deve ficar atenta, principalmente ao métodos de combater  e como lidar com eles, que representam riscos à saúde humana.

 

Bárbara Medeiros, que mora no bairro desde criança, conta que não é comum o aparecimento de escorpiões por ali. “Não sei o que houve, nunca teve tanto escorpião. Lembro que vez ou outra aparecia um, mas este ano está demais”, disse.

 

Desde domingo a família tem usado inseticidas pela casa e na madrugada de terça-feira (21) ela e a avó se sentiram mal, com vômitos e dores no estômago. “Acho que ficamos mal por conta da quantidade de inseticida”, disse.

 

Alerta - O coordenador de Vigilância em Saúde Ambiental e Toxicológica, Karyston Adriel Machado da Costa, afirma que não se deve usar inseticidas para combater o escorpião. “O inseticida não dá resultados no caso de escorpiões e o uso desses produtos pode resultar em intoxicação. Então não é aconselhável usa-lo”, orientou.

 

Ele destacou ainda que combate mecânico é muito mais eficaz e evita que a saúde da população seja colocada em risco. “O importante é tapar as frestas das portas, assim como ralos e pias, além de manter a casa limpa, pois se houver barata o escorpião acaba sendo atraído por ela”. O uso da água sanitária é indicado nos ralos e pias para afastar o aracnídeo, pois ele não gosta do cheiro.

 

O que fazer - A Prefeitura de Campo Grande informou, por meio da assessoria de imprensa, que as pessoas devem entrar em contato com o CCZ (Centro de Controle de Zoonoses), onde a equipe do setor de Animais Peçonhentos vai agendar uma visita ao domicílio para vistoriar e orientar o moradores sobre os cuidados necessários para evitar que o animal se aloje novamente no local.

 

Em janeiro o Campo Grande News apontou que segundo Levantamento do Ministério da Saúde, realizado entre os anos 2000 e 2015, um total de 119 pessoas morreram no País em decorrência de picadas de escorpiões, sendo 11 em Mato Grosso do Sul.

 

Apenas em 2015 foram registradas 6 mortes no Estado. Ainda de acordo com o estudo, no período foram registrados 6.294 casos de acidentes ou picadas de escorpiões no Estado, com números crescentes. Em 2000 foram 6 casos e em 2014 os números chegaram a 1.101 casos registrados. Um ano depois, em 2015 ocorreram 937 registros.

 

Serviço – Informações podem ser obtidas no Civitox, pelo telefone 0800 722 6001 ou (67) 3386-8655. O contato do CCZ é o (67) 3313-5000.



Untitled Document
Últimas Notícias
Sport vira para cima de reservas e tira Grêmio da liderança
Campanha de Vacinação contra a Influenza é prorrogada
Avião com empresário de SP cai em Mato Grosso do Sul
Untitled Document