Untitled Document
SEGUNDA FEIRA, 21 DE MAIO DE 2018
06 de DEZEMBRO de 2016 | Fonte: O Globo

Piloto do avião da Chape tinha mandado de prisão

Miguel Quiroga tinha desertado da Força Aérea, segundo ministro
O boliviano Miguel Quiroga, de 36 anos, era piloto e um dos sócios da Lamia (Foto: Reprodução Facebook)

Miguel Quiroga, piloto do avião da LaMia que transportava a delegação da Chapecoense e uma das 71 vítimas da tragédia, tinha um mandado de prisão por ter desertado da Força Aérea, disse, nesta segunda-feira, o ministro boliviano da Defesa, Reymi Ferreira.

 

O ministro explicou que os pilotos militares assumem compromisso de, após formados, não se retirarem da Força Aérea até cumprirem com os anos de serviço militar previstos. Ele evitou a prisão com recursos na Justiça.

 

Domingo, em entrevista ao Fantástico, da TV Globo, a viúva de Quiroga, Daniela Pinto, disse ter certeza de que o marido fez de tudo para evitar a tragédia:

 

- Eu entendo a dor de todas as pessoas, mas meu marido nunca colocaria por vontade própria a vida e a de outras pessoas em risco. Meu marido era um homem responsável, que amava o que fazia. Ele não era uma pessoa má. Não era um assassino - disse.

 

Natural de Cobija, o boliviano Quiroga - que era um dos sócios da LaMia - tinha 36 anos. O avião pilotado por Quiroga levava a delegação da Chapecoense para a primeira partida da final da Copa Sul-Americana, contra o Atlético Nacional, em Medellín, e caiu na madrugada da terça-feira passada após sofrer uma pane seca.

 

Na segunda-feira, a Conmebol declarou oficialmente a Chapecoense como campeã da Copa Sul-Americana.



Untitled Document
Últimas Notícias
Maior derrotado da Série A, Santos não perdia tanto desde ano da estreia de Pepe
Bellucci dá 1ª vitória brasileira no quali de Roland Garros
MS tem a melhor geração de emprego dos últimos quatro anos
Untitled Document