Untitled Document
SEXTA-FEIRA, 15 DE NOVEMBRO DE 2019
08 de NOVEMBRO de 2019 | Fonte: Gabriela Borsari/ Assessoria

Vacina contra o HPV é aliada do Novembro Azul

Com pelo menos 200 variações do vírus em circulação, aproximadamente 40 tipos de HPV causam doenças sexualmente transmissíveis.

A Sociedade Brasileira de Urologia mantém sua recomendação de que homens a partir de 50 anos devam procurar um profissional especializado, para avaliação individualizada da saúde prostática. Aqueles da raça negra ou com parentes de primeiro grau com câncer de próstata devem começar aos 45 anos por motivo de fatores genéticos, implicando em risco maior. O uso da vacina HPV protege contra as verrugas genitais e provavelmente contra a neoplasia prostática, sendo indicada para os homens a vacina quadrivalente, contendo os tipos 6, 11, 16 e 18 do vírus HPV, aprovada no Brasil para meninos e homens de 9 a 26 anos.

 

Com pelo menos 200 variações do vírus em circulação, aproximadamente 40 tipos de HPV causam doenças sexualmente transmissíveis, com as chamadas lesões anogenitais, que atingem órgãos sexuais masculinos e femininos e podem se manifestar também na boca.  Destes, 18 variações podem causar câncer.

 

O Novembro Azul busca conscientização da sociedade, particularmente  dos homens, a respeito da saúde masculina, destacando a prevenção e diagnóstico precoce do câncer de próstata. No Brasil ocorrem mais de 10 mortes a cada dia de homens com câncer de próstata.

 

O mês de novembro é dedicado principalmente para quebrar o preconceito masculino de ir ao urologista e, quando indicado, realizar o exame de toque retal.

 

A atividade de diagnóstico precoce, permitindo identificar o tumor prostático em fases iniciais, se demonstra importante para que se estabeleçam medidas eficazes e seguras, diminuindo a mortalidade. 

 

“A vacina cobre quatro variações do vírus, mas atinge 85% dos casos de câncer, além de boa parte dos casos de DSTs. Como as relações sexuais são a principal forma de transmissão, há muito tabu, preconceito e receio em falar abertamente sobre vacinação e prevenção. Mas é justamente por isso que a vacinação começa com as crianças, antes do início da vida sexual, para que elas possam chegar protegidas à fase adulta. A vacina existe há dez anos e apesar disso o que se vê é que o número de casos segue em evolução, não para de crescer”, explica Dr. Alberto Jorge Félix Costa CRM-MS 1266, médico e diretor técnico responsável da Imunit&a acute; Centro de Imunização.

 

O câncer de próstata é comum, o segundo ou terceiro em frequência, variando em diferentes comunidades, sendo que, se diagnosticado precocemente, apresenta elevado potencial de cura, o que torna importantíssima a identificação dos indivíduos pertencentes a grupo de risco para o desenvolvimento da doença.

 

Por outro lado, sabe-se que o Papiloma Vírus Humano (HPV) é capaz de induzir câncer em vários tecidos, tendo sido o HPV associado com o câncer de pênis, de ânus e provavelmente de próstata em homens. Esse fato transforma os infectados por HPV em grupo de risco, mas lamentavelmente, os homens habitualmente não têm sintomas de HPV, exceto por alguns que desenvolvem verrugas que podem ocorrer na região anal, no pênis, escroto, virilha ou nas coxas.



Untitled Document
Últimas Notícias
Deputados criticam proposta da CCR MSVias e pedem cumprimento de contrato
TRF-4 alega cópia de juíza e abre brecha para Lula
Atividade econômica cresce 0,91% no 3º trimestre
Untitled Document