Untitled Document
QUARTA-FEIRA, 24 DE ABRIL DE 2019
11 de FEVEREIRO de 2019 | Fonte: Midiamax

Minotauro tinha base de operações com sistema de câmeras para vigiar a cidade

Conseguia saber onde a polícia estava através das câmeras

Depois da ofensiva ao grupo do narcotraficante Sérgio Quintiliano de Arruda, o ‘Minotauro’, que acabou na prisão de 14 integrantes e na apreensão de duas toneladas de cocaína, a polícia paraguaia descobriu agora que Sérgio tinha uma base de operações de onde controlava a cidade de Pedro Juan Caballero, na fronteira com Ponta Porã.

 

A base de operações do narcotraficante que foi preso, em Santa Catarina, era parecida com a base da polícia nacional, com câmeras de alta definição que permitia ampliar as imagens e ver possíveis vítimas do grupo, além de saber onde os policiais estariam.

 

Membros da facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital) com quem ‘Minotauro’ tinha relação controlavam toda a cidade e planejam as execuções, já que sabiam o momento em que a polícia chegaria aos lugares.

 

Segundo o site Ponta Porã Informa, a promotora Alicia Sapriza agora investiga qual a empresa que teria instalado o sistema de monitoramento ao narcotraficante. Na base foram presas 15 pessoas, que permaneceram caladas.

 

A polícia, através das câmeras apreendidas, analisa as imagens para tentar esclarecer assassinatos ocorridos na fronteira. Ainda foram apreendidos carregadores de pistola, celulares, 25 veículos entre caminhões, carros e motos. Além disso, seis pacotes de notas de 10 reais, documentos e uma réplica de um tipo de metralhadora.



Untitled Document
Últimas Notícias
Conselho Estadual de Agrotóxicos elabora plano para difusão do Manejo Integrado de Pragas em MS
Adolescente morre após ser agredido com enxada
Com faca, homem ameaça e rouba bolsa de mulher
Untitled Document