Untitled Document
QUINTA-FEIRA, 25 DE ABRIL DE 2019
03 de AGOSTO de 2018 | Fonte: Globo Esporte

Palmeiras apresenta Felipão nesta sexta

Empate em Salvador mostra como Felipão vai encontrar o Palmeiras.

Sim, o empate em 0 a 0 do Palmeiras com o Bahia, em Salvador, foi um bom resultado para o Verdão no jogo de ida das quartas de final da Copa do Brasil, e poderia ter sido melhor se não fosse o erro em cobrança de pênalti de Bruno Henrique. Mas o jogo na Fonte Nova mostrou também que Felipão terá ajustes para fazer na equipe a partir desta sexta-feira, quando ele será apresentado na Academia.

 

Com um time que procurou mais as jogadas pelo alto no campo de ataque – Deyverson foi o mais participativo, pelo alto e também por baixo –, chamou a atenção o posicionamento da equipe quando atacad, principalmente na primeira etapa. Ao tomar a posse de bola e tentar sair para o jogo, o Bahia encontrou o Verdão com uma linha de quatro no meio de campo, reforçado na marcação pelos dois pontas e com Felipe Melo na sobra.

 

Moisés teve a função de se aproximar mais dos atacantes. E foi dos pés dele um lance claro, desperdiçado por Dudu, logo no primeiro minuto de jogo. O camisa 10 tentou encontrar Willian em boa posição, mas contou com desvio da marcação para deixar o camisa 7 livre dentro da área para finalizar – Anderson defendeu.

 

Erros de finalização

O erro de Dudu mostrou um problema que já atrapalhou o Palmeiras em outras oportunidades: o chute ao gol. Depois da jogada desperdiçada pelo camisa 7, Deyverson teve outras duas boas chances para marcar, uma de bicicleta que passou perto, e outra em finalização dentro da pequena área que foi desviada pela marcação.

 

Na segunda etapa, já com Artur na vaga de Willian, o Verdão teve a chance mais clara do jogo em cobrança de pênalti. O chute forte de Bruno Henrique, porém, acertou o travessão e manteve o placar zerado.

 

O sobe e desce dos laterais

Marcos Rocha apareceu bem no ataque aos 25 minutos, quando deu passe para Deyverson finalizar dentro da pequena área. Mas, de uma maneira geral, o Verdão tem sofrido com a queda de produção de seus laterais, tanto na defesa quanto no ataque.

 

O maior problema está no lado esquerdo, com Diogo Barbosa em uma sequência de pouco destaque ofensivo e trabalho cosntante na parte defensiva. Contra o Bahia, o camisa 6 apareceu com perigo na linha de fundo uma única vez, em cruzamento rasteiro que não levou perigo.

 

Meio de campo palmeirense

Depois de um bom início contra o Bahia, o Palmeiras começou a perder espaço no meio de campo, o que fez os donos da casa crescerem na partida e terem domínio, mesmo que isso pouco representou em criação de jogadas perigosas – a mais clara foi um chute de Gilberto, na primeira etapa, em contra-ataque.

 

Os erros de saída de bola atrapalharam a evolução palmeirense, que passou a tentar explorar as jogadas de contra-ataque na segunda etapa, principalmente depois da entrada de Artur. Foi o atacante, aliás, que sofreu a penalidade desperdiçada por Bruno Henrique.

 

Quem viu o empate do banco de reservas foi Lucas Lima. Meia-atacante com característica para ser o articulador da equipe, o camisa 20 voltou da parada para a Copa mais participativo e decisivo quando esteve em campo - ele marcou no empate com o Santos e na vitória contra o Paraná. As recentes atuações fazem o atleta ser novamente uma opção para dar mais criatividade ao time.

 

A estreia de Felipão

Mesmo que tenha se comunicado com Andrey Lopes durante o empate com o Bahia, Luiz Felipe Scolari vai estrear no comando da equipe no domingo, quando o Palmeiras enfrenta o América-MG. O treinador terá apenas um dia para trabalhar com a equipe, em Belo Horizonte. Será que o Verdão terá novidades no Independência?



Untitled Document
Últimas Notícias
Conselho Estadual de Agrotóxicos elabora plano para difusão do Manejo Integrado de Pragas em MS
Adolescente morre após ser agredido com enxada
Com faca, homem ameaça e rouba bolsa de mulher
Untitled Document