Untitled Document
SEGUNDA FEIRA, 24 DE SETEMBRO DE 2018
15 de MAIO de 2018 | Fonte: G1-MS

Investigação diz que professor cometia abusos ao final das provas: 'Faz isto pra mim que eu te passo'

Três das possíveis vítimas que prestaram depoimento disseram que ele falou, da mesma maneira, com todos que ficaram por último em sala de aula em MS.

O depoimento dos adolescentes vítimas de possíveis estupros de um professor, em Campo Grande, aponta que os abusos eram cometidos durante as provas. Segundo o delegado Fábio Sampaio, responsável pelas investigações, todos disseram que, quem permanecia por último, recebia as mesmas ameaças. Ao todo, 7 testemunhas são investigadas.

 

"Elas disseram que a maioria dos abusos eram cometidos em época de prova e, quem permanecia por último, ouvia: ah, você faz isto pra mim que eu te passo. Sobre dinheiro, isto consta nos autos do inquérito, no caso do depoimento do último menino. São três casos já apurados e outros quatro ainda em investigação", comentou ao G1 Sampaio.

 

Nesta terça-feira (15), o homem deve retornar para a Delegacia Especializada de Proteção à Criança e o Adolescente (Depca). "Aqui não temos cela adequada e por isto ele permaneceu à noite na Derf [Delegacia Especializada de Repressão à Roubos e Furtos]. Agora estamos aguardando a Agepen [Agência Estadual de Administração Penitenciária] se pronunciar sobre uma vaga para ele no presídio", explicou o delegado.

Professor suspeito de estupro foi preso pela Depca, em MS (Foto: Ricardo Mello/TV Morena)
Professor suspeito de estupro foi preso pela Depca, em MS (Foto: Ricardo Mello/TV Morena)

Preventiva

Na noite dessa segunda (14), o professor de 59 anos que atuava na Vila Piratininga, foi preso. Ele estava escondido na casa de familiares. A prisão preventiva foi decretada pela 7ª Vara Criminal.

 

"Nós tínhamos vários endereços que estávamos checando. A casa dele, sabíamos que não estava mais, já que o local tinha sido apedrejado. Nossa diligências então continuaram e ele foi preso na casa de outro familiar, cerca de 10 minutos depois. A viatura agora está a caminho da delegacia", comentou na ocasião o delegado.

 

Recentemente, a Secretaria de Educação da cidade disse que se pronunciaria sobre o caso, porém aguardariam mais informações sobre os possíveis crimes.

 

Entenda o caso

Segundo a polícia, os adolescentes de 12 e 13 anos comentaram entre si sobre os abusos. Os pais ficaram sabendo dos relatos e procuraram a delegacia para registrar boletim de ocorrência, na Delegacia Especializada de Proteção à Criança e o Adolescente (Depca). Todas as vítimas estudam em uma escola na Vila Piratininga, conforme a investigação.

 

“Todas as vítimas já foram ouvidas, passaram pelo setor psicossocial e confirmaram (os abusos). O suspeito inclusive já foi indiciado”, comentou na ocasião o delegado Fábio Sampaio.

 

Ainda conforme o delegado, o homem já foi indiciado em três inquéritos por estupro de vulnerável. Segundo o delegado, ele dá aulas em várias disciplinas numa escola da rede municipal de ensino. A pena para este tipo de crime varia de 8 a 15 anos de reclusão.

 

A Secretaria Municipal de Educação (Semed) afirmou que, quando recebe alguma informação da policia sobre algum ato ilícito praticado por funcionários ligados a rede, já se inicia um processo administrativo e caso a denúncia seja efetiva, o suspeito é afastado das funções.



Untitled Document
Últimas Notícias
Corinthians empata e impede liderança do Inter no Brasileiro
Anatel começa a enviar alertas sobre bloqueio de celulares piratas
Corpo de jovem é encontrado embaixo de ponte em Campo Grande
Untitled Document