Untitled Document
QUARTA-FEIRA, 21 DE FEVEREIRO DE 2018
13 de NOVEMBRO de 2017 | Fonte: O Globo

Guerrero apela ao tribunal da Fifa para anular suspensão

Julgamento do peruano está marcado para o dia 30, na Suíça.
Guerrero está suspenso até o fim deste mês (Foto: Marcos Brindicci/ Reuters)

Paolo Guerrero, suspenso por 30 dias pela Fifa após doping para a benzoilecgonina, um metabólito da coca e da cocaína, recorreu da punição na manhã desta segunda-feira. Sua equipe de advogados já havia solicitado a anulação da suspensão, que foi negada, e estudava se iria ou não recorrer ao Tribunal de Apelação da Fifa. A pedido do jogador, a defesa se movimentou, mesmo considerando curtos os prazos para que ele pudesse voltar a jogar imediatamente.

 

O atacante perdeu o primeiro jogo da seleção do Peru contra a Nova Zelândia, no sábado, pela repescagem das Eliminatórias da Copa. O jogo terminou em 1 a 1, e o segundo confronto será na quarta-feira, em Lima. Além disso, Guerrero tem a semifinal da Sul-Americana, com o Flamengo, contra o Junior de Barranquilla, da Colômbia, nos dias 23 e 30, pela frente.

 

A contraprova do exame do jogador, aberta na última quinta-feira e cujo resultado foi conhecido na sexta-feira, deu positivo para o estimulante, configurando o doping positivo.

 

O bioquímico L. C. Cameron, que faz parte da equipe de defesa do jogador e é o coordenador do Laboratório de Bioquímica de Proteínas da UNIRIO, foi quem acompanhou a abertura da amostra B, em Colônia, na Alemanha. Guerrero fez o exame antidoping após o jogo do Peru contra a Argentina pelas Eliminatórias, em 5 de outubro.

 

O advogado do atleta, Bichara Neto, informou que, no detalhamento da amostra A, não apareceram outros metabólitos da coca (resultado de seguidas transformações da coca ou cocaína no organismo; no metabolismo) e que a concentração de benzoilecgonina é muito baixa.

 

A defesa irá se basear nesses dados para tentar diminuir a pena de quatro anos de suspensão, prevista no código antidopagem da Agência Mundial Antidoping (Wada).

 

Para isso, terá de indicar, e provar, como o metabólito da coca e da cocaína apareceu no organismo do atleta. O objetivo é provar que a substância foi ingerida sem a intenção e o conhecimento do jogador. Assim, a pena pode cair para dois anos.

 

A defesa do atleta terá de ser enviada à Fifa até o dia 26. O julgamento será no dia 30, em Zurique, na Suíça.



Untitled Document
Últimas Notícias
Prefeitura de Naviraí entrega kit's escolares para Guarda Mirim
Reinaldo Azambuja diz que guerra contra as facções criminosas é interesse de toda a sociedade
Com só 4 vitórias, São Paulo é o pior dos clássicos no Paulistão na década
Untitled Document