Untitled Document
QUINTA-FEIRA, 21 DE SETEMBRO DE 2017
30 de JUNHO de 2017 | Fonte: Folha de Naviraí/ Jr Lopes

Professores e alunos de Naviraí se unem em marcha pela paz nas escolas

Educadores e alunos de Naviraí se unem em passeata pela paz nas unidades escolares.

Cerca de 200 pessoas, entre professores e alunos, participaram da marcha pela paz nas escolas que aconteceu na manhã do último sábado (24/06), no centro de Naviraí. A concentração ocorreu na Praça Prefeito Euclides Fabris e de lá, juntos educadores e alunos, percorreram as principais ruas do centro da cidade.

Passeata percorreu as principais ruas e avenidas de Naviraí (Foto: Folha de Naviraí/Jr Lopes)

Idealizada por professores da Escola Estadual Antônio Fernandes, a mobilização teve objetivo de demonstrar para a sociedade que a educação está mobilizada e chamar a atenção das autoridades dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, para que coloquem em prática ações que coíbam os casos de violência [verbal e física] registrados em algumas escolas de Naviraí.

 

O caso mais grave de violência contra um educador ocorreu na Escola Antônio Fernandes no dia 06 de junho, quando um aluno menor de idade atingiu o diretor da escola, Marlon Morch, com dois golpes de faca. O professor passou por cirurgia e está em fase de recuperação. Na mesma semana, uma coordenadora foi agredida por uma aluna e um garoto foi flagrado com uma arma branca dentro da escola, casos estes que foram registrados em outras duas unidades escolares do município.

Momento da passagem da manifestação pela Avenida Weimar Torres (Foto: Folha de Naviraí/Jr Lopes)

Ex-gerente municipal de educação e atualmente lecionando nos três períodos na Escola Antônio Fernandes, o professor Ciro Toaldo participou da passeata e destacou o papel primordial da família dentro do processo que busca a paz nas escolas.

 

- Precisamos do apoio das famílias. A história não acontece só nos livros, mas ela acontece na vida real. Os alunos que participaram desta passeata presenciaram um momento importante na história, se mobilizando juntamente com os professores e clamando pela a paz nas escolas – disse o professor.

Aluno exibe cartaz pedindo paz e harmonia entre os povos (Foto: Folha de Naviraí/Jr Lopes)

A manifestação chamou a atenção dos comerciantes e das pessoas que circulavam pelo centro da cidade. Professora há 23 anos, Rosimeire Viutes afirmou que o momento é de união.

 

– Nós precisamos de apoio de todos para que a nossa comunidade escolar tenha menos registro de violência. Não podemos esperar apenas pelos nossos governantes, temos que nos unir como fizemos aqui hoje. Basta de violência nas escolas – frisou a professora.

Concentração ocorreu na Praça Prefeito Euclides Fabris (Foto: Folha de Naviraí/Jr Lopes)

Para a coordenadora do Ensino Médio na Escola Antônio Fernandes, professora Wanieyre de Oliveira, o objetivo de mobilizar professores e alunos de todas as escolas do município em busca da paz nas escolas foi alcançado.

 

– Este foi um ato de todas as escolas. Mesmo por ter sido organizado em poucos dias, ficamos satisfeitos pelo resultado obtido que foi chamar a atenção da população sobre a necessidade de nos unirmos em busca da paz – afirmou.

Passeata percorreu as principais ruas e avenidas de Naviraí (Foto: Folha de Naviraí/Jr Lopes)

Tatiane Morch, coordenadora pedagógica na Escola Estadual Presidente Médici e esposa do professor Marlon Morch, participou da passeata e fez questão de enfatizar que a família não tem sentimento de vingança ou mágoa devido ao fato ocorrido.

Manifestação foi silenciosa. Os cartazes exibiam frases que clamam pela paz nas unidades escolares (Foto: Folha de Naviraí/Jr Lopes)

- Não foi e não está sendo fácil para a nossa família, mas nós não estamos buscando nenhum culpado pelo que aconteceu. Nossa esperança é de que o sofrimento da nossa família sirva ao menos para que juntos [educadores, alunos, autoridades e a sociedade de modo geral] encontremos formas de promover a paz nas escolas e no meio em que vivemos. Eu como cidadã, posso dizer que nós estamos precisando mais da presença de Deus nas escolas e nas famílias. Sem ele, nós não conseguiremos reverter esta questão de violência, seja nas escolas ou em qualquer outro local – declarou a professora Tatiane Morch, no final da marcha pela paz nas escolas.



Untitled Document
Últimas Notícias
Traficantes saem da Rocinha por temor de rivais
Corumbá recebe aporte de R$ 43 mi para obras
Barrios reconhece dificuldade contra o Botafogo e nega falta no lance do gol
Untitled Document