Untitled Document
QUINTA-FEIRA, 17 DE AGOSTO DE 2017
29 de MARÇO de 2017 | Fonte: Campo Grande News

Produtor de MS ainda calcula tamanho do prejuízo com a Carne Fraca

Dez dias depois do início da Operação Carne Franca, setor produtivo de Mato Grosso do Sul faz cálculos para saber o tamanho do prejuízo (Foto: Alcides Neto)

Passados 10 dias do início da Operação Carne Fraca, deflagrada pela Polícia Federal no dia 17 deste mês para apurar irregularidades na fiscalização de órgãos públicos no setor da pecuária brasileira, a cadeia produtiva de Mato Grosso do Sul ainda tenta entender seus desdobramentos e faz as contas para saber o tamanho do prejuízo.

 

Com base na estimativa do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, que indica queda de 19% na média diária da exportação de carnes pelo Brasil, ou seja, de US$ 62,2 milhões para US$ 50,5 milhões, antes e depois da Operação Carne Fraca, o prejuízo do setor em Mato Grosso do Sul é de US$ 12,6 milhões (cerca de R$ 40 milhões). Isso, levando em conta a média mensal das exportações de carnes de Mato Grosso do Sul em 2016, que totalizaram US$ 783 milhões, o que representaria queda de US$ 65,25 milhões para US$ 54 milhões em março de 2017.

 

Os números da estimativa de queda nas exportações de carnes (boi, suíno e aves) de Mato Grosso do Sul por conta da ação da Polícia Federal são do consultor em comércio exterior, Aldo Barigossi.

 

“Isso é apenas uma estimativa, referente apenas ao mercado externo. Hoje não tenho dados de quanto Mato Grosso do Sul não embarcou, não tenho essa informação e creio que ninguém tem, mas é certo que o prejuízo da cadeia produtiva como um todo é ainda maior do que esses números estimados, considerando que os produtores com animais prontos para abate terão que fechar negociados por um preço menor”, comentou Barigossi.

 

Em nota enviada ao Campo Grande News, o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços informou que os dados divulgados esta semana são preliminares e que os números dos estados começam a ser apurados somente no final de cada mês e são disponibilizados na segunda quinzena do mês seguinte. “Isso significa que vamos ter os números de Mato Grosso do Sul, provavelmente depois do dia 10 de abril”, disse Sandro do Carmo Lima, da área de Comunicação do MDIC.

 

Com a deflagração da operação Carne Fraca, dos onze países que suspenderam temerariamente suas importações de carnes do Brasil sete deles compraram de Mato Grosso do Sul em 2016. Na lista, os maiores compradores de carne bovina sul-mato-grossense: China (22%), Chile (11%), Arabia Saudita (11%), Rússia (9%), União Europeia (7%) e Estados Unidos (3%).

 

Segundo a Fiems (Federação das Indústrias de Mato Grosso do Sul), o volume em dólares nas importações de carne sul-mato-grossense pelo mercado exterior em 2016 é liderado pela China com US$ 170 milhões, seguida pelo Chile, US$ 97 milhões, Arabia Saudita, US$ 86 milhões, Rússia, US$ 69 milhões, União Européia, US$ 75 milhões, e Estados Unidos, US$ 3,7 milhões.

 

Nesta terça-feira, 28, Hong Kong suspendeu o embargo às importações de carnes do Brasil. O país é o maior importador de carne bovina brasileira. Apenas os produtos dos 21 frigoríficos investigados, nenhum de Mato Grosso do Sul faz parte da lista, ainda continuam com a importação suspensa.



Untitled Document
Últimas Notícias
JBS entrega documento e admite descumprimento de acordo
Votação da PEC que altera regras para as eleições é adiada
MS poderá ter cadastro de condenados por racismo ou injúria racial
Untitled Document