Untitled Document
SÁBADO, 15 DE AGOSTO DE 2020
22 de JULHO de 2020 | Fonte: Agepen

Agepen e SES ampliam medidas para contingência da Covid-19

Ação é realizada pela Secretaria Estadual de Saúde (SES), em parceria com a Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen).
Foto: Divulgação/ Agepen

Com objetivo de barrar a pandemia dentro das unidades prisionais de Mato Grosso do Sul, teve início a ampliação da estratégia de testagem molecular em reeducandos e servidores penitenciários, por meio do Protocolo de Contingência da Covid-19 no Sistema Prisional do Centro de Operações de Emergência (COEM-MS). A ação acontece pela Secretaria Estadual de Saúde (SES), em parceria com a Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen).

 

O  desenvolvimento do plano piloto começou esta semana no Instituto Penal de Campo Grande (IPCG), com o treinamento da equipe de saúde do presídio e das unidades do Complexo Penitenciário do Jardim Noroeste por membros do Comitê de Operações de Emergência da Covid-19 (COE) da SES e da Secretaria de Saúde de Campo Grande (Sesau), por meio da Unidade de Resposta Rápida.

 

As medidas estão em consonância com o Plano de Contingência da Agepen, que prevê as ações de baixa complexidade relacionadas à atenção primária de saúde que atua no sistema prisional.

 

Conforme a médica infectologista do COE Estadual, Mariana Croda, a ideia é incrementar as ações já desenvolvidas com técnicas de média e alta complexidade e fazer a vigilância virológica ativa dentro das unidades penais de todo o estado. “Para isso, iniciaremos a coleta do exame padrão ouro – como é conhecido o teste por biologia molecular – o qual detecta a presença do vírus em secreção nasal, nos primeiros sete dias de sintomas, evitando assim, a proliferação da doença”, informou.

 

Para o secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende, todos os esforços são importantes para evitar a entrada do vírus. São estratégias assertivas que a SES e a Agepen estão realizando. “O objetivo da ampliação da testagem e as ações de isolamento é identificar precocemente os sintomáticos, testar em massa a população exposta, conseguir isolar os casos positivos dos demais internos para evitar a propagação do surto”, explica Resende, enfatizando ainda que o trabalho também será extensivo aos servidores com sintomas gripais, que devem ser afastados e avaliados.

 

A partir do desenvolvimento do projeto piloto, será possível avaliar as necessidades e identificar as estruturas disponíveis. Posteriormente será feito o treinamento das equipes de saúde dos presídios do Complexo Penitenciário da capital e disponibilizados vídeos instrutivos. A ideia é estender a experiência a todas as unidades penais do estado.

 

Até o momento estavam sendo realizados apenas os testes rápidos, coletados por meio do sangue, o qual detecta o vírus a partir do oitavo dia de sintomas, além da triagem dos ingressos dos novos internos. A partir de agora, serão ampliadas as estratégias de testagem, para o teste mais sensível – molecular.

 

Considerado de alta complexidade, o teste molecular é feito através do swab (cotonete) e realizado pelo Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen/MS), considerado ideal para a contingência e controle do surto quando necessário.

 

Para isso, o protocolo prevê a capacitação de toda a saúde prisional, para que esteja apta em medidas de vigilância epidemiológica, controle de surto e principalmente a coleta do material em consonância com as ações de saúde do município.

 

As unidades prisionais que não possuem setor de saúde próprio estarão alinhadas e contarão com apoio da vigilância epidemiológica do município, que também é responsável pela contingência da pandemia  no sistema prisional.

 

O  diretor-presidente da Agepen, Aud de Oliveira Chaves, destaca que a iniciativa visa conter a contaminação dentro do sistema penitenciário do estado. “O sistema prisional é parte integrante da saúde da comunidade e com esse suporte, teremos recursos e profissionais capacitados para fazer a testagem em massa, de forma eficaz, quando necessário”, ressalta.



Untitled Document
Últimas Notícias
Comissão se reúne para falar sobre planejamento de retorno às aulas presenciais em MS
Governo regulamenta serviços de retransmissão de rádio
Palmeiras se reúne com médicos e prepara pedido de mudança em protocolo da CBF
Untitled Document