Untitled Document
QUARTA-FEIRA, 03 DE JUNHO DE 2020
17 de ABRIL de 2020 | Fonte: Segov

Governo discute com prefeitos ações e reflexos econômicos do coronavírus

Em webconferência secretário reforça gestão municipalista do governo frente à Pandemia.
Foto: Edemir Rodrigues

Nesta sexta-feira (17/04) o secretário de Governo e Gestão Estratégica, Eduardo Corrêa Riedel, acompanhado da procuradora e consultora legislativa, Ana Carolina Ali Garcia, participaram de uma videoconferência organizada pela Associação dos Municípios de MS (Assomasul) com todos os prefeitos e representantes do Tribunal de Contas do Estado (TCE), Ministério Público e Confederação Nacional dos Municípios (CNM) para discutir ações de enfrentamento ao Covid-19, apresentar as principais medidas administrativas tomadas pelo poder executivo, além de debater com os prefeitos sobre os próximos passos e desafios econômicos dos próximos meses.    

 

Na ocasião, o Secretário apresentou aos prefeitos um panorama da estrutura de saúde montada para atender a pandemia: “Atualmente contamos com 900 leitos exclusivos para tratamento do COVID-MS, tendo mais 181 novos leitos de UTI em ampliação. O Ministério da Saúde já encomendou 16 mil kits de diagnóstico do Covid-19, dos quais a metade já chegou e estão à disposição do estado. Também reforçamos nosso estoque com 70 mil doses de vacinação da gripe a fim de não atrapalhar o diagnóstico do Covid, em virtude de outras viroses que acometem a população nesta época do ano”, explicou Riedel.

 

Quanto à preocupação dos prefeitos a respeito da capacidade de manutenção das despesas, incluindo a folha de pagamento com o pessoal, o secretário alertou-os sobre a previsão de queda na arrecadação para que se planejem: “Temos previsto para maio uma perda de arrecadação de ICMS em torno de 32%, aproximadamente R$ 280 millhões, que refletirá diretamente na arrecadação dos municípios (que recebem 25% deste montante). Mas é preciso ter muita cautela quanto à adoção de medidas que possam vir a agravar ainda mais a crise econômica dos municípios”, explicou.

 

Com relação ao duodécimo, o governo estadual tem discutido com todos os poderes a possibilidade de repactuação destes recursos, de acordo com a capacidade dos órgãos. O governador Reinaldo Azambuja também tem acompanhado as propostas de apoio da União que envolvem precatórios, Lei Kandir, suspensão das dívidas, recomposição do Fundo de Participação dos Estados (FPE): “No caso do Mato Grosso do Sul, a repactuação e a reconstituição do valor 2019 é mais interessante para os estados e municípios, mas não temos como prever a velocidade por serem decisões políticas de âmbito nacional”, destacou Riedel.  

 

Outro assunto em pauta foi a definição do calendário escolar nos próximos dias: “No dia 27 de abril teremos uma reunião para definição do calendário escolar da rede estadual, mas a tendência é que entre o dia 4 e 18 de maio seja antecipado o recesso de julho e, após esse período, avaliaremos o formato de retorno às aulas (se serão presenciais ou não) e comunicaremos os municípios”, adiantou o secretário.

 

O secretário de Governo ainda enfatizou as medidas administrativas que vêm sendo tomadas, priorizando os âmbitos da saúde e do social, tais como: a isenção do pagamento da conta de água, para 12 mil famílias carentes, por três meses (abril, maio e junho); proibição do corte de água em todas as unidades consumidoras da Sanesul; acréscimo de R$ 60 no Vale Renda de famílias com alunos matriculados em escolas estaduais; suspensão temporária do vencimento das prestações dos contratos dos programas habitacionais com a Agehab e a isenção do ICMS sobre a tarifa social de energia elétrica por três meses, beneficiando mais de 570 mil pessoas de baixa renda (142.870 famílias).



Untitled Document
Últimas Notícias
Nova frente fria chega ao MS e muda o tempo já a partir de segunda
Mato Grosso do Sul tem 20 óbitos por coronavírus e 1.489 confirmados
Câmara de Dourados suspende atividades após segundo caso de Covid-19
Untitled Document