Untitled Document
SEGUNDA FEIRA, 17 DE JUNHO DE 2019
30 de NOVEMBRO de 2018 | Fonte: O Globo

Mais Médicos - dois municípios e dois distritos indígenas ainda não tiveram nenhum interessado

Outros 32 locais também têm vagas a serem preenchidas.
Ainda há 83 vagas para serem preenchidas em distritos sanitários especiais indígenasou (Foto: Guito Moreto / Agência O Globo)

Entre os 27 municípios de extrema pobreza e os nove distritos sanitários especiais indígenas (DSEIs) localizados na Amazônia em que ainda há vagas a serem preenchidas no programa Mais Médicos , a situação é pior em quatro deles. Nos municípios de Juruá e Jutaí e nos distritos indígenas Médio Rio Purus e Médio Rio Solimões e Afluentes, todos no estado do Amazonas, não houve ainda nenhum médico interessado em atuar em um dos postos de trabalho disponíveis.

 

O DSEI Médio Rio Solimões e Afluentes tem 12 vagas, mas nenhuma foi ocupada até agora. No DSEI Médio Rio Purus, são sete, mas também não há interessados até o momento. Nos municípios de Jutaí e Juruá, há seis e três vagas respectivamente, mas todas seguem vazias.

 

Em outros 25 municípios e sete DSEIs apareceram interessados, mas não em número o suficiente para preencher todas as vagas. O distrito sanitário indígena com mais postos de trabalho, por exemplo, é do Alto Rio Solimões. São 27 ao todo, mas só quatro foram preenchidas até agora.

 

Com a saída dos médicos cubanos que trabalhavam no programa, em razão das divergências entre o governo de Cuba e o presidente eleito Jair Bolsonaro, o Ministério da Saúde lançou um edital para o preenchimento de 8.517 vagas, das quais 8.185 estão em 2.824 municípios, e 332 estão distribuída em 34 DSEIs. Segundo o último balanço da pasta, 8.366 já foram preenchidas, mas 151 continuam à espera de interessados.

 

Considerados todos os 34 DSEIs, ainda há 83 vagas para serem preenchidas, ou seja, um quarto do total. Nos municípios a situação é um pouco melhor: 68 de um total de 8.185 (menos de 1%), ainda não tiveram interessados. O Ministério da Saúde classifica as cidades em sete faixas. A última delas, em que estão todos os municípios com vagas a serem preenchidas, são os de extrema pobreza. O balanço do Ministério da Saúde, porém, não mostra alguns problemas que estão sendo revelados pelos gestores municipais.



Untitled Document
Últimas Notícias
Arrastão em saída de arraial termina com seis na delegacia
Corpo de jovem é encontrado em milharal
Idoso morre ao cair de escada durante poda de árvore na Capital
Untitled Document