Untitled Document
TERÇA-FEIRA, 23 DE OUTUBRO DE 2018
27 de SETEMBRO de 2018 | Fonte: Campo Grande News

Rebanho bovino de MS encolhe 1,5%, mas ainda é quarto maior do país

Estado tinha 21,5 milhões de cabeças de bois em 2017, segundo Pesquisa da Pecuária Municipal, do IBGE; líder no estado, Corumbá e vice-campeão nacional, com 1,9 milhão de cabeças
Bois criados em fazenda no município de Antônio João; MS tinha 21,5 milhões de cabeças no ano passado (Foto: Eliel Oliveira)

Conforme a PPM (Pesquisa de Pecuária Municipal) relativa a 2017 e divulgada hoje (27) pelo IBGE, Mato Grosso do Sul tinha até 31 de dezembro do ano passado 21,5 milhões de cabeças de bovinos, quantidade 1,5% menor que a de 2016.

 

Mesmo com essa queda, o rebanho bovino sul-mato-grossense continuou em quarto no país, atrás de Mato Grosso, Goiás e Minas Gerais, situação que se repete desde 2010, quando o estado ficou em terceiro no país.

 

O município de Corumbá detém o maior rebanho bovino de Mato Grosso do Sul e o 2º maior do país, com quase 1,9 milhão de cabeças. A liderança foi de São Félix do Xingu (PA).

 

Ribas do Rio Pardo é o 2º no estado com 1,1 milhão de cabeças e o terceiro no país. Em terceiro aparece Aquidauana com 800,8 mil, em quarto está Porto Murtinho com 691 mil e em quinto Três Lagoas, com 629,3 mil bovinos.

 

Vaca leiteira – A pesquisa do IBGE também apontou queda no rebanho de vacas leiteiras em Mato Grosso do Sul. 2017 o estado tinha 230.184 animais, 11,1% menos que o efetivo do ano anterior. Paranaíba, com 13.750 cabeças, tem o maior número de vacas ordenhadas em MS, com aumento de 48,5% em relação a 2016.

 

Mesmo com a queda no número de vacas ordenhadas, a produção de leite cresceu no estado. Foram 345,5 milhões de litros no ano passado, 2,4% a mais do que no ano anterior. Itaquiraí, na região sul do estado, é o maior produtor de leite sul-mato-grossense, com 26 milhões de litros produzidos no ano passado.

 

Em todo o país, segundo o IBGE, a produção de leite foi de 33,5 bilhões de litros, com retração de 0,49% em relação a 2016. Minas Gerais continuou como maior produtor, com 8,9 bilhões de litros – 26,6% da produção nacional.

 

Demais áreas – o levantamento do IBGE mostra que em 2017 tiveram crescimento os rebanhos de suíno (13,1%) e galináceos (4,22%) em Mato Grosso do Sul. Os demais rebanhos apresentaram redução: bubalino (-4,60%), equino (-21,5%), caprino (-18,8%), ovino (-31,6%), e codornas (-0,12%).

 

O efetivo estadual de equinos foi de 278.482 cabeças em 2017. Assim como na produção de bovinos, Corumbá tem o maior efetivo de equinos do país, com 28.000 cabeças. Mesmo com queda de 21,5% em relação a 2016, o município pantaneiro se manteve como líder no ranking nacional.

 

Na piscicultura, a produção total foi de 18 mil toneladas, 2,6 vezes mais do que a produção no ano anterior. A produção de tilápia quase triplicou e representou 87,40% da produção estadual da piscicultura, com 15,8 mil toneladas.

 

Suínos – Sétimo maior do país, o rebanho de suínos aumentou 13,1% em relação a 2016 e chegou a 1,4 milhão de cabeças. Glória de Dourados (236.765 cabeças) e São Gabriel do Oeste (232.500 cabeças) tiveram os maiores efetivos de suínos no ano passado.

 

Mel – Outro destaque na pesquisa do IBGE foi o crescimento de 38,6% na produção de mel. Mato Grosso do Sul teve produção de 1,16 mil toneladas. O estado tem a 10ª maior produção do país.

 

O valor da produção foi de R$ 13,9 milhões, 55,2% superior à de 2016. O município sul-mato-grossense com maior produção de mel foi Três Lagoas, com 160 toneladas.

 

Os outros grandes produtores de mel são Brasilândia (120 toneladas), Chapadão do Sul (85), Terenos e Jardim (50 toneladas) e Guia Lopes da Laguna (48,5 toneladas).



Untitled Document
Últimas Notícias
Sesi destaca melhoria na gestão de SST com eSocial
Chuva desacelera ritmo da moagem de cana na segunda quinzena de setembro
Atacar Poder Judiciário é atacar a democracia, diz presidente do STF
Untitled Document