Untitled Document
QUINTA-FEIRA, 15 DE NOVEMBRO DE 2018
15 de AGOSTO de 2018 | Fonte: Agência Brasil

Feridos em explosão na UFRJ estão fora de risco

Uma explosão em um dos laboratórios do Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (Coppe/UFRJ) deixou três pessoas feridas. Todos foram levados para o Hospital Universitário Clementino Fraga Filho, na Ilha do Fundão, Ilha do Governador, Zona Norte do Rio.

 

O técnico Nelson Aguiar teve um ferimento na perna. Ele foi medicado e liberado. A aluna de doutorado Isabela da Rocha Silva, que está grávida, aguarda resultados de exames. Ela ainda fará um exame oftalmológico, uma vez que foi atingida no rosto. O técnico Oswaldo Freire foi atingido no pescoço e passa por uma pequena cirurgia. Isabela e Oswaldo permanecem internados, mas segundo nota divulgada pela Coppe, o estado de saúde de ambos é estável e eles não correm riscos graves.

 

O acidente ocorreu por volta das 10h30 na sala de polimento de amostras, no Laboratório Multiusuário do Programa de Engenharia Metalúrgica e de materiais. Os feridos foram atendidos pela Brigada de Incêndio da universidade e, posteriormente, levados para o hospital.

 

O diretor da Coppe, Edson Watanabe, explicou que o laboratório servia como área de preparação de amostras que depois seriam processadas em outro laboratório. Ele disse que os técnicos são experientes e bem treinados.

 

“Pelo tipo de comportamento das pessoas foi uma coisa completamente inesperada. São técnicos treinados, deve ter acontecido alguma coisa errada que a gente tem de apurar”, disse o diretor à Agência Brasil.

 

Agora à tarde, o prédio já estava liberado, com exceção do laboratório que passa por uma limpeza. Segundo o diretor, algumas pessoas já pretendiam voltar ao trabalho.

 

A Coppe é o maior centro de ensino e pesquisa em engenharia da América Latina.



Untitled Document
Últimas Notícias
Reinaldo se reúne com Bolsonaro nesta quarta
Homem tenta abusar prima de 8 anos na Capital
Diabetes mata mais de 4,7 mil pessoas em MS
Untitled Document