Untitled Document
DOMINGO, 18 DE FEVEREIRO DE 2018
01 de FEVEREIRO de 2018 | Fonte: Campo Grande News

Sem estádios aptos na Capital, Comerário é novamente adiado

Partida estava marcada para domingo, mas clubes só querem jogar com torcida
Jogos no Morenão estão sendo realizados apenas com portões fechados (Foto: Saul Schramm)

A FFMS (Federação de Futebol de Mato Grosso do Sul) adiou pela segunda vez o clássico entre Comercial e Operário, previsto para domingo (4). O principal motivo é a falta de estádios na Capital, que ainda não estão aptos para receber os jogos. 

 

Alguns clubes têm optado em atuar com os portões fechados, até mesmo em competições nacionais, como o Novo decidiu fazer pela Copa do Brasil. Entretanto, o presidente do Operário, Estevão Petrallas, classifica a possibilidade de realizar o jogo como "atestado de incompetência".

 

O vice-presidente da FFMS, Marco Tavares, acredita que o Morenão seja liberado pelo MPE (Ministério Público Estadual) para receber os jogos com torcida na sexta-feira. Segundo Tavares, falta a instalação de uma sirene de emergência, a troca de uma manta na estrutura física do estádio e a cobertura de rachaduras.

 

O estádio das Moreninhas também passou por reforma e deve se tornar alternativa para os times da Capital. De acordo com a Funesp (Fundação Municipal de Esporte), o gramado passou por adequação, atendendo ao padrão Fifa de 102x68,5 metros, houve pintura e numeração de 3,8 mil lugares nas arquibancadas, instalação de grade nos quadros de força, troca da iluminação e reforma nos vestiários e banheiros.

 

Com o Comerário adiado, o Estadual terá apenas três partidas no fim de semana. No sábado, às 18h, o Corumbaense recebe o Sete de Setembro no estádio Arthur Marinho, em Corumbá. No domingo, às 16h, o Operário de Dourados enfrenta o Urso de Mundo Novo no Douradão. No mesmo horário o Novo visita o Costa Rica.



Untitled Document
Últimas Notícias
Associação Comercial de Naviraí completa 40 anos neste sábado
Preso em MS com quase 420 kg de cocaína é do RJ
Carretas apreendidas em MS levavam R$ 12 milhões em cigarros contrabandeados
Untitled Document