Untitled Document
SEXTA-FEIRA, 24 DE NOVEMBRO DE 2017
22 de OUTUBRO de 2017 | Fonte: Portal do Governo de Mato Grosso do Sul

Temer anuncia recursos para recuperação do Taquari

Presidente Michel Temer assinou Medida Provisória que estabelece regras para as compensações ambientais em unidades de conservação.
Temer esteve em Mato Grosso do Sul neste sábado (Foto: Chico Ribeiro)

Ao participar do encerramento do II Encontro Carta Caiman no Refúgio Ecológico Caiman, em Mirada-MS, neste sábado (21/10) o presidente Michel Temer assinou várias medidas na área ambiental,  entre elas a que assegura recursos que serão aplicados na recuperação da Bacia do Taquari, que há décadas sofre com o processo de assoreamento. O valor é parte dos  R$ 4,6 bilhões em multas ambientais federais que serão convertidas em ações de preservação ambiental.

 

Em seu discurso durante o evento e se dirigindo ao presidente Michel Temer, o governador Reinaldo Azambuja falou da importância da medida para a solução de um dos mais graves e antigos problemas ambientais de Mato Grosso do Sul, que é o assoreamento do Rio Taquari. “Talvez uma das maiores conquistas para o meio ambiente brasileiro dos últimos tempos, que permite, através de uma legislação, poder fazer essa transformação de uma multa em serviços ambientais e recuperação do meio ambiente. Isso é tudo que precisávamos. Colocar como uma das prioridades nos editais a recuperação, talvez do maior desastre ambiental de Mato Grosso do Sul e um dos maiores do país, que é a recuperação do rio Taquari, sem sombra de dúvidas é um grande avanço”, disse o governador.

 

Além de assinar o decreto que regulamenta a conversão de multas aplicadas pelos órgãos ambientais federais em serviços de recuperação de áreas degradadas, o presidente Michel Temer assinou Medida Provisória que estabelece regras para as compensações ambientais em unidades de conservação. Anunciou também a elaboração do Plano de Recursos Hídricos da Região Hidrográfica do Paraguai, a criação do Comitê Interministerial do Taquari. E o ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho, assinou Portaria que tem como objetivo apoiar as ações para a conservação da região dos banhados de Bonito.

 

“Demos um passo para assegurar o futuro do Pantanal. E quando falo em desenvolvimento sustentável uso a palavra diálogo, e fiquei contente em saber que pela manhã produtores e aqueles que se dedicam ao meio ambiente estiveram reunidos discutindo a preservação do Pantanal. O que precisamos fazer no Brasil é juntar brasileiros com brasileiros e não contra. Temos que caminhar por essa trilha, juntar aqueles que são produtores com aqueles que preservam o meio ambiente e nem um nem outro fará nada sem antes haver um amplo diálogo”, afirmou o presidente Michel Temer.

 

Já o ministro Sarney Filho enalteceu o trabalho que está sendo feito para a preservação do Pantanal. “Demos início a um processo, sem volta, de destinação apropriada do Pantanal para as futuras gerações e principalmente para a melhoria das condições de vida das pessoas que aqui moram e que aqui tem o privilégio de desfrutar essa belíssima natureza”, afirmou o ministro.

 

O governador Reinaldo Azambuja também falou da importância de todos os segmentos envolvidos se empenharem na busca de ações integradas para o Pantanal.  “Existe uma convergência de ideais para se construir políticas públicas para que a gente possa ter desenvolvimento e sustentabilidade. É totalmente possível isso. Sentando-se à mesa encontra-se caminhos, ouvimos aqui as universidades, as instituições encontrando caminhos para produção com sustentabilidade”, afirmou.

 

Ele enfatizou o papel do homem pantaneiro no processo de preservação do Pantanal, e defendeu a criação de mecanismos que remunere os produtores rurais que pratiquem as atividades de maneira sustentável. “A bacia pantaneira com 84% de preservação e o planalto com quase 40%, isso foi construído por essas pessoas que secularmente viveram ali e são os responsáveis pelo modelo de Pantanal que nós temos”, comentou.

 

Participaram do encontro também o ministro interino do Meio Ambiente Marcelo Cruz, o empresário Roberto Klabin, dono do Refúgio Ecológico Caiman, os secretários estaduais Eduardo Riedel (Governo e Gestão Estratégica), Jaime Verruck  (Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar), os deputados federais Carlos Marum e Tereza Cristina, o senador Pedro Chaves, o presidente da Assembleia Legislativa, Júnior Mochi, os prefeitos Marlene Bossay (Miranda) e Ruiter Cunha (Corumbá), além de dirigentes das entidades da classe produtora de Mato Grosso do Sul e Mato Grosso.



Untitled Document
Últimas Notícias
Fiems disponibiliza treinamento sobre gestão de SST na era do e-Social para as indústrias
Maioria do STF vota pela restrição ao foro privilegiado para parlamentares
Novo texto da reforma mantém idade mínima de 65 para homens e 62 para mulheres
Untitled Document