Untitled Document
QUINTA-FEIRA, 19 DE OUTUBRO DE 2017
17 de JULHO de 2017 | Fonte: Campo Grande News

Geada antes da colheita do milho pode prejudicar 200 mil hectares

Entre 14% e 15% das áreas plantadas nos municípios da região sul do Mato Grosso do Sul ainda estão na fase de conclusão da lavoura.

Cerca de 200 mil hectares de milho plantado tardiamente em Mato Grosso do Sul correm o risco de serem afetados pela geada prevista a partir desta terça-feira (17/07). Serviços de meteorologia afirmam que a temperatura mínima deve chegar a 0°C, que aliada ao tempo sem nuvens e vento pode congelar o orvalho sobre as plantas.

Milho que está na fase de grão mais pastoso pode enfrentar maior problema com a geada (Foto: Divulgação)

Leonardo Carlotto, analista em agricultura da Famasul (Federação da Agricultura e Pecuária do Estado) afirma que na região sul, que deve ser a mais afetada pelo frio, formada pelos municípios de Naviraí, Maracaju, Antônio João, Caarapó e Dourados tiveram alguns hectares do grão semeados com atraso e dependendo do estágio da lavoura, eles podem sofrer com a intempérie.

 

Segundo ele, em torno de 14% a 15% das áreas plantadas nesses municípios ainda estão na fase de conclusão da lavoura.

 

- Pode ser que eles sejam afetados ou não, depende da intensidade da geada e do grau de desenvolvimento que eles estavam. Se encheu o grão, e estava em processo de secagem, saindo do pastoso para o farináceo, ou seja, naquele estágio em que aperta o grão e ele esfarela, não vai afetar em nada. Mas se estava na fase de grão mais pastoso ou leitoso, que ainda está recebendo água, aí sim é um problema - explica.

 

A variedade do milho plantado é outro fator que pode aumentar ou diminuir o risco com a geada. Carlotto explica que existem algumas espécies mais precoces, que com 120 dias já estão entrando na fase de secagem e se preparando para a colheita. Nesse caso, seriam menos afetados pelo frio.

 

TEMPO

Depois de enfrentar temperaturas mínimas em torno dos 4°C nesta segunda-feira (16/07), municípios na região de fronteira com o Paraguai podem ter os termômetros zerados e sensações térmicas negativas amanhã.

 

Luiz Souza, meteorologista do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) diz que Ponta Porã deve ser uma das cidades mais afetadas.

 

Hoje o município registrou 4,6°C como sua menor temperatura, mas amanhã os termômetros marcam 0C e o orvalho sobre a vegetação deve congelar.

 

Segundo ele, em Porto Murtinho o dia deve amanhecer com os termômetros marcando em torno de 1°C nessa terça-feira. A mínima registrada hoje no município foi de 8°C, ou seja, a temperatura deve despencar 7°C durante a madrugada.

 

Juti e Itaquiraí registraram mínima de 7,9°C, segundo o Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais).

 

- Chuva só deve ter hoje. Amanhã o tempo abre - completa o meteorologista.

 

Embora o frio incomode muita gente, a frente fria acompanhada da nebulosidade melhoram a umidade relativa do ar, que na região sul do estado pode chegar a 80%, quebrando a rotina de tempo seco registrada nas últimas semanas.



Untitled Document
Últimas Notícias
Sicredi é uma das 150 Melhores Empresas Para Trabalhar
Funcionários da JBS em Naviraí vão às ruas e pedem garantia de emprego
Morador de condomínio pagará taxa mínima de IPTU, decide TJ-MS
Untitled Document