Untitled Document
QUARTA-FEIRA, 28 DE JUNHO DE 2017
12 de JUNHO de 2017 | Fonte: Lance Net!

Avaí quer ouvir até narrador da Globo no STJD sobre interferência externa

“Ih, rapaz. Vai consultar a gente de novo. Vai consultar a gente de novo. É uma demora, uma eternidade. (…) Ih, não é pênalti não! Desmarcou o pênalti!”.

 

Esses termos usados pelo narrador Luis Roberto, na transmissão deste domingo do futebol na Globo, chamaram atenção do Avaí. As frases foram proferidas no momento em que o árbitro Paulo Vollkopf, depois de dois minutos de interrupção da partida entre o time catarinense e o Flamengo, dirigiu-se ao auxiliar atrás do gol e anulou a marcação da penalidade contra o Rubro-Negro.

 

Diante da suspeita de interferência externa, o Avaí vai levar o caso ao STJD. O clube já acionou advogado no Rio, está concluindo a junção das provas e pretende até mesmo interpelar o narrador da Globo na instância desportiva para que ele explique melhor o que quis dizer no momento em que a decisão foi tomada. Vale ressaltar que o recuo do árbitro se deu após o replay da disputa entre Everton, do Flamengo, e Diego Tavares, do Avaí.

 

O clube catarinense prepara uma notícia de infração contra o árbitro Vollkopf por causa do episódio na Ressacada. Dentro desse contexto, há ainda um desejo de bater mais forte na necessidade de registrar e tornar público o conteúdo das conversas via sistema de comunicação da arbitragem.

 

O Avaí está ciente que enfrentará oposição da CBF. O presidente da comissão de arbitragem, Coronel Marinho, já fez questão de publicamente rechaçar a tese de interferência externa.

 

Se levar adiante a tentativa de questionamento via Justiça Desportiva ao profissional da Globo, o Avaí repetirá o caso Internacional x Palmeiras. Na ocasião, a repórter Taynah Espinoza (então na Band e atualmente no Esporte Interativo) chegou a ter a presença solicitada pelo Internacional, mas a emissora não deu autorização. Tudo porque ela disse na transmissão que estavam “usando a tecnologia, mesmo que não seja de forma legal” para anular um gol de mão de Barcos, então no Palmeiras.

 

Quem cuida dos casos do Avaí no STJD é o advogado Osvaldo Sestário.



Untitled Document
Últimas Notícias
Ladrões furtam R$ 1 mil em 'kit churrasco'
Homem capota carro com 500kg de drogas
Em 5 anos, cresce a participação de idosos no mercado formal de trabalho
Untitled Document