Untitled Document
SEGUNDA FEIRA, 26 DE JUNHO DE 2017
05 de JUNHO de 2017 | Fonte: Globo Esporte

Mancini não usa briga como motivação contra o Cruzeiro e já cita o Leicester

Técnico da Chape diz que confusão após queda na Copa do Brasil foi um erro e não foi usada na preleção com os jogadores. Além disso, crê que título é sonho possível
Chapecoense fez 2 a 0 no Cruzeiro neste domingo e lidera o Brasileirão (Foto: Estadão Conteúdo)

Na quinta-feira, Chapecoense e Cruzeiro ficaram no 0 a 0 em Chapecó, pela Copa do Brasil. A Raposa avançou, mas no fim da partida, na entrada dos vestiários, uma grande confusão envolveu os dois times. Neste domingo, os catarinenses deram o troco e conquistaram a vitória por 2 a 0, pelo Brasileirão, no Mineirão. Em entrevista ao "Troca de Passes", o técnico Vagner Mancini afirmou que a briga não serviu de motivação para o elenco e disse que está arrependido do seu comportamento na quinta.

 

- Não usei a briga, porque aquilo foi uma atitude errada de todos nós, reconhecemos isso, de ambos os lados. Mas usei o jogo da Chapecoense, o 0 a 0 lá em Chapecó e o 1 a 0 contra aqui no Mineirão. Mostramos aos atletas que nós fomos supreriores nas duas partidas. Isso é importante, quando você amadurece e vê que a sua equipe teve mais méritos. Por que não conseguimos vencer? Porque derrapamos nas finalizações ou taticamente não fomos tão eficientes. Essa foi a tônica da minha palestra, desde quinta até hoje, mostrar aos atletas que nós éramos capazes de vencer o Cruzeiro, mesmo fora de casa. Nós tínhamos time para vir aqui e fazer uma grande partida.. Estou muito satisfeito que eles conseguiram entender e fizeram a boa partida. A gente leva uma vitória muito importante, que tem que ser destacada, porque a Chape foi superior ao Cruzeiro - disse o treinador.

 

A vitória recolocou a Chapecoense na liderança do Brasileirão, com 10 pontos. Apesar de reconhecer que o Brasileirão ainda está no início, Vagner Mancini acredita que o elenco está se superando e, por isso, conversa sobre título com os jogadores. O Leicester, campeão inglês de 2015-16, seria uma das inspirações.

 

- Já falei com eles sobre o Leicester. É um exemplo vivo, recente. Existem outros exemplos, do Once Caldas, que chegou à Libertadores desconhecido e foi campeão. Do próprio Paulista de Jundiaí, que eu dirigi em 2005, que venceu cinco times de Série A e foi campeão. Esses exemplos são muito importantes. Lógico que ainda é um início de campeonato, mas temos que falar do que está acontecendo, da realidade. Não posso tirar o mérito de uma equipe que é líder do campeonato não falando sobre a liderança, não cultivando entre nós a possibilidade de um título. É distante, é difícil, todos nós sabemos. É difícil também para outras estruturas, que têm mais dinheiro, mais jogadores, podem se reforçar. Mas é muito interessante quando você dá a resposta a esses atletas, valorizando o papel deles. Hoje, nós temos que falar em título sim. Embora nosso objetivo principal seja se manter na Série A, nunca escondemos. Mas, hoje, diante do quadro que está sendo visto, eles merecem que a gente fale sobre a liderança.

 

Vagner Mancini ainda elogiou muito a atuação diante do Cruzeiro, viu o time como "dono das ações" no Mineirão e destacou que alguns jogadores do grupo são líderes do elenco, mesmo sem ser titulares.

 

- A equipe tem algumas peças que têm chamado a atenção, que tem feito a diferença dentro do vestiário. Tenho atletas que não figuram entre os 11, mas estão entre os líderes no vestiário. É importante ter boas referências, isso acaba pesando no aspecto emocional, quando você enfrenta grandes equipes, quando você é muito pressionado dentro da partida. Eu vi um time que teve tudo isso. Foi cirúrgico quando teve que ser e teve um equilíbrio emocional muito grande para suportar a pressão do Cruzeiro.

 

A Chapecoense volta a campo na próxima quarta-feira, para enfrentar o Grêmio, na Arena Condá. Os gaúchos, com nove pontos, estão em terceiro lugar no Brasileirão.



Untitled Document
Últimas Notícias
Cassems tem aprovação de 81% dos usuários do Estado, aponta pesquisa
Temer sanciona lei que permite preço diferente para cada forma de pagamento
Empresários do Estado terão 15 dias para pagar ICMS de mercadorias
Untitled Document