Untitled Document
SEGUNDA FEIRA, 22 DE MAIO DE 2017
20 de ABRIL de 2017 | Fonte: Correio do Estado

Estado diz que não renegocia dívida com União

Para veículos de passeio, os valores vão de R$ 4,60 a R$ 7,40
Governador Reinaldo Azambuja disse em agenda pública hoje que não haverá nova negociação da dívida com União (Foto: Valdenir Rezende/Correio do Estado)

O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) ratificou que Mato Grosso do Sul não vai precisar renegociar dívidas com a União.

 

“Essa renegociação das dívidas dos estados é mais para atender o Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e mais outros estados que estão em situação de falência”, declarou.

 

O projeto de lei que prevê a renegociação das dívidas dos estados está tramitando pela terceira vez, apenas neste mês, na Câmara dos Deputados.

 

Ontem, o Legislativo fez nova tentativa para votar a matéria sobre a recuperação de estados em calamidade fiscal (PLP 343/17). “Essa lei veio para criar uma regra de transição para que eles possam equacionar suas finanças e continuar cumprindo com suas obrigações”, disse o governador.

 

No Estado, os deputados estaduais aprovaram na terça-feira o projeto de limite de gastos do governo. A votação foi apertada, 17 a favor e cinco contrários, além de abstenções. 

 

A PEC prevê que os investimentos do governo estadual fiquem condicionados ao aumento da inflação oficial, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (IPCA). A oposição na Assembleia Legistativa criticou a medida ao afirmar que setores como saúde, segurança e educação podem sofrer cortes.

 

A nova regra para investimentos estaduais é que eles ficarão congelados pelo período de 10 anos. O líder de Azambuja na Casa, Rinaldo Modesto (PSDB), afirmou que a medida não vai atrapalhar o funcionamento da máquina pública. "Não vai congelar nada. Os investimentos podem ser aumentados junto com o IPCA. Podem confiar no governo", garantiu o tucano.

 

O governador defende que Mato Grosso do Sul está com as contas em dia. “Nós somos um dos poucos estados que conseguiu pagar suas dívidas e seus servidores. Estamos avançando”, afirmou.

 

VALORES

 

Em dezembro, a Assembleia Legislativa aprovou projeto de lei que autorizou o Governo do Estado a refinanciar os atrasados com a União por mais 20 anos.

 

Com essa proposta, Mato Grosso do Sul deve economizar uma média de R$ 864 milhões por ano. A dívida atual é em torno de R$ 9 bilhões, com dados divulgados em dezembro de 2016.

 

O Estado vinha pagando cerca de R$ 108 milhões por mês ou R$ 1,296 bilhão anual em cima de 15% da receita líquida. Com a nova proposta, o comprometimento da receita caiu para 5% e o governo estadual passou a pagar cerca de R$ 36 milhões mensais, totalizando R$ 432 milhões anual.



Untitled Document
Últimas Notícias
Cursilho Naviraí promove Feijoada dia 02 de Julho no Salão Paroquial
Comissão aprova redução de pena para preso com deficiência
Caminhão boiadeiro carregado com 20 animais tomba em Naviraí
Untitled Document