Untitled Document
TERÇA-FEIRA, 22 DE AGOSTO DE 2017
12 de ABRIL de 2017 | Fonte: O Globo

PGR quer apurar suposta mesada a irmão de Lula

Ex-presidente também teria pedido ajuda para um de seus filhos, Lulinha
O ex-presidente Lula particia de debate do PT sobre a Lava-Jato (Foto: Edilson Dantas)

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, sugeriu abertura de investigação para apurar suposto pagamento de mesada da Odebrecht a Frei Chico, um dos irmãos do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A acusação está amparada nas delações premiadas dos ex-diretores da empreiteira Hilberto Mascarenhas Alves da Silva Filho e Alexandrino de Salles Ramos Alencar. Segundo ele, a mesada era paga em dinheiro e eram de conhecimento do ex-presidente. A sugestão de Janot foi enviada pelo ministro Edson Fachin, relator da Lava-Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), para a 13ª Vara Federal de Curitiba, onde tramitam duas investigações contra Lula.

 

"Relatam os colaboradores o pagamento, por parte do Grupo Odebrecht, de uma espécie de “mesada” em favor de José Ferreira da Silva (Frei Chico), irmão do ex-Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva. Narram os executivos que tais pagamentos eram efetuados em dinheiro e contavam com a ciência do ex Presidente da República, noticiando-se, ainda, que esse contexto pode ser enquadrado “na mesma relação espúria de troca de favores que se estabeleceu entre agentes públicos e empresários”, e o pagamento pela Odebrecht em favor do Partido dos Trabalhadores (PT) e do próprio ex-Presidente da República já são investigados no âmbito da Justiça Federal do Paraná", diz Fachin na decisão de mandar a petição de Janot para o juiz Sérgio Moro, em Curitiba.

 

Segundo o Ministério Público, Emílio Odebrecht e Alexandrino Alencar contaram em delação que pediram ao ex-presidente Lula, quando Dilma Rousseff já era presidente, ajuda para "melhorar a relação" entre a Odebrecht e a petista. Lula se comprometeu a ajudar, mas pediu em troca que a empreiteira ajudasse um novo negócio de seu filho caçula, Luís Cláudio Lula da Silva, chamado de "projeto "Touchdown", associado à criação de liga de futebol americano no Brasil". Os delatores mencionam inclusive uma reunião entre Luís Cláudio e representantes da Odebrecht onde o filho de Lula apresentou o projeto à empresa.

 

Em outra petição envolvendo o ex-presidente, o MP relata que, em delação, Marcelo Odebrecht pediu a Lula para usar sua influência para favorecer a empresa em seus negócios em Angola. O documento não detalha que tipo de ajuda o ex-presidente de fato deu à empreiteira.

 

VANTAGENS A EX-PRESIDENTE SERIAM RETRIBUIÇÃO

 

Emilio e Marcelo Odebrecht, relataram à Procuradoria-Geral da República (PGR) o pagamento de vantagens ao ex-presidente “como retribuição a favorecimento da companhia”. Entre os agrados destinados ao ex-presidente estão reformas em um sítio em Atibaia (SP), compra de imóveis para uso pessoal e para a instalação do Instituto Lula e pagamentos de palestras.

 

Os termos da delação foram remetidos para a Justiça Federal do Paraná pelo ministro Edson Fachinl, a pedido da PGR. Isso porque Lula não tem mais foro privilegiado desde que deixou a presidência da República. A PGR destacou ainda que as condutas relatadas pelos executivos da Odebrecht já vêm sendo apuradas naquela instância. Cópia do material também será remetida ao Ministério Público Federal em Curitiba.



Untitled Document
Últimas Notícias
Professora é agredida por aluno após expulsá-lo de sala de aula
Onevan formaliza a ministro pedido para implantação de novo curso na UFMS de Naviraí
Programa Vale Renda promove ações conjuntas em Naviraí
Untitled Document