Untitled Document
TERÇA-FEIRA, 19 DE SETEMBRO DE 2017
11 de ABRIL de 2017 | Fonte: G1-MS

Secretário de Saúde e dono de hospital dizem que macacos não trazem risco aos pacientes em MS

Médico José Carlos da Silva diz que macacos são vacinados e não chegam a entrar nos quartos. Secretário Evaldo Carlos de Souza afirma que animais não trazem risco à saúde.

O secretário municipal de saúde de Mundo Novo, Evaldo Carlos de Souza, e o dono do Hospital Beneficente Doutor Bezerra de Menezes, José Carlos da Silva, garantem que os macacos não trazem riscos para os pacientes internados na unidade, localizada na região Sudoestes de Mato Grosso do Sul, a 458 quilômetros de Campo Grande. Os símios foram flagrados na janela de um dos quartos do hospital e pacientes afirmaram ter medo da transmissão de doenças.

Macacos-pregos visitam paciente no único hospital de Mundo Novo, em Mato Grosso do Sul. (Foto: Divulgação)
Macacos-pregos visitam paciente no único hospital de Mundo Novo, em Mato Grosso do Sul (Foto: Divulgação)

De acordo com José Carlos da Silva, que é médico, os macacos vivem na área de mata nativa antes de ele chegar ao local e montar o hospital, que realiza mais de 2 mil consultas e 300 internamentos por mês. O hospital faz cirurgias de média complexidade e exames, como endoscopia, colonoscopia e eletrocardiografia.

 

“Sempre esses animais estiveram ali. Há 43 anos, antes de eu chegar, eles estavam lá. Eu preservei uma área de mata nativa e moro lá, no meio da mata, ao lado do hospital. E eles ficam ali”, conta o proprietário do hospital.

 

Ele disse que os bichos não entram no hospital, o único de Mundo Novo. De acordo com ele, os 12 macacos-pregos são monitorados pelo Instituto Brasileiro de Meio Ambiente (Ibama) e receberam vacinação. “Além do mais, é uma terapia para a criançada. O pessoal que vem de fora quer ver. Eu cuido deles com muito carinho”.

 

De acordo com Silva, apenas um dos quartos não possui grades. Ele afirma, no entanto, que elas nada têm a ver com os animais. “Sempre tivemos grades nas janelas, mas não é para impedir macaco de entrar, mas para paciente não fugir. Às vezes, eles vêm para desintoxicação. Aqui é demais o número de pacientes por causa das drogas”. Com 18 mil habitantes, Mundo Novo faz fronteira com o Paraguai, atendendo pacientes daquele país, além dos brasileiros de Mundo Novo, Eldorado e Japorã.

 

Após a publicação da matéria do G1 sobre a convivência de macacos e pacientes no hospital, o secretário municipal de Saúde, Evaldo Carlos de Souza, fez uma visita à unidade. Ele disse ter encontrado grades nas janelas e acredita não haver risco para a saúde da população.

 

“Risco, a população não tem. Moro há 30 anos e os macacos são motivo de alegria. Como farmacêutico eu posso garantir que a população pode ficar despreocupada”, disse.



Untitled Document
Últimas Notícias
Encontrada ossada de jovem sumido há quase 1 ano em Naviraí
Audiência subsidia projeto de lei que determina avaliação em academias
Naviraí terá casamento comunitário em outubro
Untitled Document